Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unioeste.br/handle/tede/911
Tipo do documento: Dissertação
Title: O Partido como agente educativo em Gramsci
Autor: Freitas, Luiz Carlos de 
Primeiro orientador: Conceição, Gilmar Henrique da
Primeiro membro da banca: Santos, Ariovaldo de Oliveira
Segundo membro da banca: Orso, Paulino José
Terceiro membro da banca: Souza, Silvana Aparecida de
Resumo: Ao longo de nosso trabalho buscamos apresentar a concepção de educação e de partido em Gramsci, bem como resgatar, no conjunto de seu pensamento, a questão da teoria da revolução. A atuação do partido político enquanto agente educativo que pensa e pratica uma educação que aponta para o rompimento e superação da sociedade capitalista, foi salientado por nós. Entendemos que o partido, para Gramsci, vai além da institucionalidade, chegando em alguns momentos a quase se confundir com a própria classe. O mesmo ocorre com a educação, sendo que, para ele, esta é um fenômeno humano que extrapola a formalidade, abrangendo toda a cultura construída por uma sociedade. Os conceitos centrais do pensamento Gramsciano tais como: hegemonia, sociedade civil, guerra de posição e guerra de movimento foram também por nós trabalhados. Tais conceitos estão interligados e por isso passamos por eles ressaltando a questão do partido como agente educativo, ou seja, buscando entender a ação educativa do partido na construção da hegemonia, na atuação na sociedade civil, e nas táticas a serem utilizadas por ele em cada momento histórico. Por fim apresentamos a questão do intelectual orgânico e tradicional e a relação educativa destes com o partido, além de refletirmos também sobre a questão da práxis revolucionária. Para Gramsci toda classe em todas as sociedades formam seus intelectuais orgânicos e são estes os responsáveis pela manutenção da ideologia que permite o funcionamento do modelo econômico, político e social de sua época. Os intelectuais tradicionais são disputados pela classe dominante e pela classe dominada, nesta perspectiva, então, é função do partido, além de produzir seus intelectuais orgânicos, conquistar estes outros intelectuais para defesa de sua ideologia. A Escola formal, de onde saem os intelectuais tradicionais, se torna também um palco de disputa entre as classes com projetos de sociedade antagônicos. Portanto, cabe ao partido político, na concepção gramsciana, atuar, como agente educativo, nos diversos espaços da sociedade civil, disputando a hegemonia para a construção de uma educação revolucionária voltada à classe trabalhadora.
Abstract: In this work we seek to present Gramsci s conceptions of education and party, as well as to revise his theory of revolution. The role of the political party as an educational agent that idealizes and implements an education towards the rupture and overcoming of the capitalist society was also highlighted in this study. We assume that the party, according to Gramsci, goes beyond the institutionality and sometimes it is almost confused with the class itself. The same is true with education: to Gramsci, this is a human phenomenon that goes beyond formality, covering the whole culture built by a society. Central Gramscian concepts such as hegemony, civil society, war of position and war of movement are also addressed, since they are closely linked each other. These concepts are revised with a focus on the party as an educational agent, in an attempt of understanding the educational action of the party in the construction of hegemony, in the activity of civil society, and in the tactics to be used in each historical moment. Finally, we present the discussion on the organic and the traditional intellectual, as well as the educational relationship between the intellectuals and the party, and we also offer some reflections on the revolutionary praxis. According to Gramsci, every class, in all societies, form their organic intellectuals, who are responsible for maintaining the ideology that allows the operation of the economic, political and social model of their time. The traditional intellectuals are disputed by the ruling class and the working class; in this perspective, then, it is the function of the party not only to develop its organic intellectuals but also to conquer these other intellectuals to defend its ideology. The formal school, from which come the traditional intellectuals, is also the scene of a struggle between classes with antagonist projects of society. Thus, the role of the political party, in the Gramscian conception, is to act as an educational agent in the various segments of the civil society, disputing the hegemony for the construction of a revolutionary education focused on the working class.
Keywords: Partido político
Revolução
Educação
Estado
Sociedade
Political party
Revolution
Education
State
Society
CNPq areas: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
Idioma: por
País: BR
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Parana
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Sociedade, Estado e Educação
Program: Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Educação
Citation: FREITAS, Luiz Carlos de. O Partido como agente educativo em Gramsci. 2009. 131 f. Dissertação (Mestrado em Sociedade, Estado e Educação) - Universidade Estadual do Oeste do Parana, Cascavel, 2009.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.unioeste.br:8080/tede/handle/tede/911
Issue Date: 13-Mar-2009
Appears in Collections:Mestrado em Educação(CVL)

Files in This Item:
File SizeFormat 
Luiz_Carlos.pdf852.12 kBAdobe PDFView/Open Preview


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.