Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unioeste.br/handle/tede/4835
Tipo do documento: Dissertação
Title: O acompanhante especializado na inclusão escolar de autistas: contribuições psicanalíticas
Other Titles: The accompanying professional in the autistic school inclusion: psychoanalytical contributions
Autor: Schultz, Joice 
Primeiro orientador: Gagliotto, Giseli Monteiro
Primeiro membro da banca: Gagliotto, Giseli Monteiro
Segundo membro da banca: Comar, Sueli Ribeiro
Terceiro membro da banca: Kemmelmeier, Veronica Suzuki
Resumo: O estudo tem por objeto a práxis do acompanhante especializado na inclusão de aluno autista. O objetivo principal foi investigar as contribuições da psicanálise para a práxis desse profissional. Pautamo-nos em investigar como a práxis do profissional acompanhante, na Educação Inclusiva do autista, pode contribuir para constituição do sujeito, no autismo. Realizamos uma revisão bibliográfica em teses, dissertações e artigos, disponíveis nas bases científicas de dados nacionais da BVS-PSI, Bireme, Lilacs, SciELO, CAPES, PEPSIC e BDTD, acerca da temática Acompanhante Especializado, Professor de Apoio, Profissional de Apoio, Autista, Autismo, Educação Inclusiva e Psicanálise, entretanto, não identificamos pesquisas que discutiam o nosso objeto de estudo à luz da psicanálise. Tomamos como referencial teórico-metodológico, o materialismo histórico-dialético, a fim de identificar e analisar as contradições, possibilidades e limitações do Sistema Educacional Brasileiro, no que tange às políticas públicas de inclusão do aluno autista. Trata-se de uma pesquisa qualitativa que faz análise documental da atuação do acompanhante, na inclusão escolar do autista. Traçamos a trajetória histórica-social dos processos de inclusão do autista no Sistema Regular de Ensino Brasileiro, com intuito de compreender como se materializou o pensamento hegemônico sobre o autismo na Educação Especial, o qual passou a ter como base o saber médico. Deste modo, investigamos como que no decorrer dos tempos, as produções de conhecimento sobre a deficiência mental, no campo do saber médico, foram contribuindo para que as concepções biologistas, acerca do autismo, fossem se tornando hegemônicas, no campo educacional. Observamos que o discurso hegemônico, pautado no saber médico, acerca do autismo, funciona como uma ideologia, uma vez que sob o disfarce de questões neurobiológicas, oculta a importância do social para o desenvolvimento humano do autista. Abrangemos o autismo como uma categoria ontológica, a partir de uma perspectiva permitida pela psicanálise. Assim, investigamos como ocorre a constituição do sujeito, no autismo, com intenção de compreender o modo de ser do autista, identificando na relação acompanhante-aluno autista, condições para a constituição subjetiva desse aluno. Percebemos, que no autismo, a constituição do sujeito, falha. Como consequência, para o autista, há ausência de registro simbólico na linguagem, o que o impede de ser lançado no mundo da comunicação. Esta falha, além dos aspectos genéticos e neurobiológicos, ocorre também em decorrência do não reconhecimento primordial entre mãe e filho. Para que este reconhecimento aconteça, necessário é, que alguém empreste seu desejo, de modo que os traços e signos que este oferece sejam acessíveis ao autista. Na escola, sugerimos que, deve ser esta, a primeira função do professor acompanhante, que este empreste seu desejo e, com esforço, ultrapasse sua mera função de cuidador e/ou mediador, esticando suas funções até o ponto em que o aluno autista possa se reconhecer nele. Apresentamos, portanto, neste estudo, possibilidades desse reconhecimento acontecer na relação acompanhante-aluno autista. Os resultados apontam que o reconhecimento do autista no acompanhante possibilita a aprendizagem. Nesse sentido, defendemos uma educação que reconheça os autistas como sujeitos de linguagem, que vise superar o ensino, atualmente, centrado no modelo hegemônico médico-pedagógico, que tem como base o biológico para explicar o fracasso escolar.
Abstract: The theme of this study centers on the activity of accompanying professionals in the inclusion of autistic students. The main objective was to investigate the contributions of psychoanalysis to the activity of these professionals. We investigated how the activity of the accompanying professional, in inclusive autistic education, might contribute to the autism's subject constitution. We conducted a literature review of theses, dissertations, and articles available in the following scientific databases: BVS-PSI, Bireme, Lilacs, SciELO, CAPES, PEPSIC, and BDTD. The themes covered included specialized companion, accompanying professional, support teacher, support professional, autism, inclusive education, and psychoanalysis. We did not identify researches that discussed our object of study in the light of psychoanalysis. As theoretical and methodological references, we adopted the historical and dialectical materialism in order to identify and analyze the contradictions, possibilities, and limitations of the Brazilian educational system regarding inclusive public policies of autistic students. This is a qualitative research that analyze documents about the performance of the accompanying professional of autistic individuals in school inclusion. We cover the historical and social trajectory of inclusion of autistic students in the Brazilian regular education system in order to understand how the hegemonic thinking on autism in special education was materialized, based on medical knowledge. Thus, we investigated how the production of knowledge about mental disability in the field of medical knowledge has contributed, over time, to a biological conception on autism that has become hegemonic in the educational field. We observed that the hegemonic discourse about autism, based on medical knowledge, functions as an ideology. This occurs because - under the guise of neurobiological origins - the discourse hinders the importance of the social environment for autistic development. Moreover, we cover autism as an ontological category, a perspective allowed by psychoanalysis. Subsequently, we explored how occurs the constitution of the subject in the light of autism, intending to understand the autistic way of being, identifying - in the accompanying professional-autistic student relationship, the conditions for a subjective constitution of this student. We realize that, in autism, the constitution of the subject fails. As a result, for the autistic, there is no symbolic register in the realms of language, which impedes the subject from being launched into the world of communication. This flaw, in addition to genetic and neurobiological aspects, also occurs as a result of a primary nonrecognition between mother and child. For this recognition to happen, it is necessary for someone to lend their desire, so that the traits and signs are accessible to the autistic individual. In schools, we suggest that this should be the first role of the accompanying professional, so that he or she can lend desires and, with effort, that this activity goes beyond the caregiver role, extending their functions to the point where the autistic student can recognize itself in this relationship. We therefore present some possibilities for this recognition to happen in the accompanying professional-autistic student relationship. The results indicate that the recognition of the autistic individual in the companion of an accompanying professional enables learning. In this sense, we defend an education that recognizes autists as subjects of language, which aims to overcome a view on teaching - currently centered on the hegemonic medical and pedagogical model - based on biological factors to explain school failure.
Keywords: Acompanhante do aluno autista
Autismo
Psicanálise
Educação Inclusiva
Autistic accompanying professional
Autism
Psychoanalysis
Inclusive Education
CNPq areas: EDUCAÇÃO: TÓPICOS ESPECÍFICOS DE EDUCAÇÃO
Idioma: por
País: Brasil
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Centro de Ciências Humanas
Program: Programa de Pós-Graduação em Educação
Campun: Francisco Beltrão
Citation: SCHULTZ, Joice. O acompanhante especializado na inclusão escolar de autistas: contribuições psicanalíticas. 2019. 143 f. Dissertação( Mestrado em Educação) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Francisco Beltrão, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://tede.unioeste.br/handle/tede/4835
Issue Date: 16-Dec-2019
Appears in Collections:Mestrado em Educação (FBE)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Joice Schltz 2019.pdf912.87 kBAdobe PDFView/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons