Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unioeste.br/handle/tede/3697
Tipo do documento: Dissertação
Title: Fatores de risco associados à nefrotoxicidade em pacientes Tratados com polimixina B
Other Titles: Risk factors associated with nephrotoxicity in patients treated with polymyxin B
Autor: Moresco, Isabel Cristina 
Primeiro orientador: Sanches , Andréia Cristina Conegero
Primeiro membro da banca: Possagno, Gerusa Clazer Halila
Segundo membro da banca: Castor, Lidyane Regina Gomes
Terceiro membro da banca: Possagno, Gerusa Clazer Halila
Resumo: Nos últimos 20 anos, com o surgimento de bactérias gram-negativas multirresistentes, as polimixinas, que tinham caído em desuso pela elevada toxicidade, voltaram a ser utilizadas como uma alternativa para tratamento dessas infecções. Esse grupo de antibiótico é ativo contra a maioria das enterobactérias e das bactérias gram-negativas não fermentadoras, em infecções oculares, do trato urinário, das meninges e da corrente sanguínea. A dose recomendada de polimixina B (PMB), em pacientes com função renal normal, é de 1,5 a 2,5 mg Kg-1 dia-1 e a dose pode ser dividida em duas vezes. Para os pacientes com alteração da função renal, recomenda-se ajustar a dose de acordo com a depuração de creatinina. Como a nefrotoxicidade é o maior limitante do uso dessa classe de antibióticos, um estudo observacional retrospectivo foi realizado com o objetivo de identificar os possíveis fatores de risco para o desenvolvimento de injúria renal aguda (IRA) em pacientes que utilizaram o antibiótico PMB. Foram coletadas as informações necessárias para realizar o estudo em prontuários, prescrições médicas e resultados de exames laboratoriais dos pacientes que utilizaram PMB em um período de 5 anos em um hospital brasileiro. Os critérios de inclusão para o estudo foram: pacientes maiores de 18 anos que utilizaram PMB por via endovenosa por mais de 72 horas. Para classificar os níveis de IRA, a creatinina basal foi calculada pela média entre os cinco últimos exames de creatinina sérica antes da primeira dose do antibiótico. Esse valor calculado e o maior nível de creatinina sérica durante o tratamento foram usados para identificar e classificar o dano renal segundo os critérios da taxa de filtração glomerular de RIFLE (Risk, Injury and Failure and Loss, and End-stage renal disease). Foram inclusos no estudo 120 pacientes, a maioria do sexo masculino (89; 74,2%) com média de idade de 50 anos. As comorbidades pré-existentes presentes com maior frequência foram hipertensão arterial sistêmica (50; 41,7%), diabetes mellitus (21; 17,5%) nefropatias (14; 11,7%) e obesidade (13; 10,8%). A principal infecção tratada foi pneumonia (35,8%) e o agente infeccioso mais identificado foi o Acinetobacter baumannii (67,9%). Os tratamentos com a PMB foram realizados durante 13 dias e a dose média diária de 191,5 mg. A alta incidência de mortalidade da população estudada (46,7%) pode estar relacionada ao estado clínico crítico dos pacientes, pois, em algum momento do internamento, 111 pacientes (92,5%) precisaram de cuidados intensivos. Na população estudada para avaliar os fatores de risco, 12 pacientes (13,5%) apresentam risco, 22 (25,0%) injúria, 30 (34,1%) falência renal, segundo os critérios de RIFLE. Além disso, no grupo que os pacientes desenvolveram IRA, 51,9% foram a óbito, enquanto que no grupo que não apresentou foram apenas 12,5%. Houve diferença estatisticamente significativa entre os grupos que desenvolveram, ou não, IRA, para as seguintes variáveis: tempo de tratamento superior a 10 dias, dose acumulada de PMB, hipoalbuminemia e uso concomitante de furosemida. Porém, as variáveis que permaneceram no modelo final de regressão logística multivariável foram o tempo de tratamento superior a 10 dias e a hipoalbuminemia. Vários fatores inerentes ao paciente e à droga estão relacionados à IRA e estratégias devem ser criadas com o intuito de minimizar esses efeitos. Destacam-se a monitorização da função renal em todos os pacientes, principalmente os de risco, e o acompanhamento da infecção para diminuir o tempo de tratamento.
Abstract: In the last 20 years, with the emergence of multiresistant gram-negative bacteria, polymyxins, which had fallen into disuse due to their high toxicity, were once again used as an alternative for the treatment of these infections. This antibiotic group is active against most enterobacteria and non-fermenting gram-negative bacteria, ocular, urinary tract, meninges, and bloodstream infections. The recommended dose of polymyxin B (PMB) in patients with normal renal function is 1.5 to 2.5 mg.kg-1.day-1 and the dose can be divided twice. For patients with impaired renal function, it is recommended to adjust the dose according to creatinine clearance. Because nephrotoxicity is the major limiting factor in the use of this class of antibiotics, a retrospective observational study was conducted to identify possible risk factors for the development of acute renal injury (ARF) in patients using the antibiotic PMB. The necessary information was collected to perform the study in medical records, medical prescriptions and results of laboratory tests from the patients who used PMB in a period of 5 years in a Brazilian hospital. Inclusion criteria for the study were: patients over 18 years of age who used intravenous PMB for more than 72 hours. To classify ARI levels, baseline creatinine was calculated by the average of the last five serum creatinine tests before the first dose of the antibiotic. This calculated value and the highest level of serum creatinine during treatment were used to identify and classify renal damage according to the criteria of the RIFLE (Risk, Injury and Failure and Loss and End-stage renal disease) filtration rate. The study included 120 patients, most of them male (89; 74.2%) with an average age of 50 years. The most frequent pre-existing comorbidities were systemic hypertension (50; 41.7%), diabetes mellitus (21; 17.5%), nephropathies (14; 11.7%) and obesity (13; 10.8%). The main infection was pneumonia (35.8%) and the most frequently identified infectious agent was Acinetobacter baumannii (67.9%). PMB treatments were performed for 13 days and the average daily dose was 191.5 mg. The high incidence of mortality in the studied population (46.7%) may be related to the critical clinical status of the patients, because at some point of hospitalization, 111 patients (92.5%) needed intensive care. In the population studied to evaluate risk factors, 12 patients (13.5%) presented risk, 22 (25.0%) injury, 30 (34.1%) renal failure, according to RIFLE criteria. In addition, in the group that patients developed ARF, 51.9% died, whereas in the group that did not present, only 12.5% died. There was a statistically significant difference between the groups that developed or not ARF, for the following variables: treatment time greater than 10 days, accumulated PMB dose, hypoalbuminemia and concomitant use of furosemide. However, the variables that remained in the final multivariate logistic regression model were treatment time greater than 10 days and hypoalbuminemia. Several factors inherent to the patient and the drug are related to ARF and strategies should be created in order to minimize these effects. The monitoring of renal function in all patients, especially those at risk, and the follow-up of the infection to reduce the time of treatment are highlighted.
Keywords: Estudo observacional
Injúria renal aguda
IRA
Reação adversa
RAM
RIFLE
Observational study
Acute kidney injury
AKI
Adverse reaction
ADR
CNPq areas: CIENCIAS DA SAUDE::FARMACIA
Idioma: por
País: Brasil
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Centro de Ciências Médicas e Farmacêuticas
Program: Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas
Campun: Cascavel
Citation: MORESCO, Isabel Cristina. Fatores de risco associados à nefrotoxicidade em pacientes Tratados com polimixina B. 2018. 46 f. Dissertação ( Mestrado em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://tede.unioeste.br/handle/tede/3697
Issue Date: 8-Mar-2018
Appears in Collections:Mestrado em Ciências Farmacêuticas (CVL)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Isabel Cristina Moresco.pdf759.81 kBAdobe PDFView/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons