Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unioeste.br/handle/tede/3269
Tipo do documento: Dissertação
Title: Concepção de cidadania do programa de Educação Cooperativa “A União Faz a Vida” da Fundação Sicredi: adaptação ou emancipação
Other Titles: Citizenship conception of the Cooperative Education program "A União Faz a Vida" of the Sicredi Foundation: adaptation or emancipation
Autor: Schmidt, Felipe José 
Primeiro orientador: Zanella, José Luiz
Primeiro membro da banca: Zanella, José Luiz
Segundo membro da banca: Comar, Sueli Ribeiro
Terceiro membro da banca: Alves, Gustavo Biasoli
Quarto membro da banca: Peroni, Vera Maria Vidal
Resumo: Esta dissertação analisou a concepção de cidadania que a Fundação SICREDI (FS), fomenta em parcerias com 274 municípios brasileiros através do Programa de Educação Cooperativa “A União Faz a Vida” (PUFV) cujo objetivo é formar cidadãos cooperativos através da metodologia de projetos temáticos. Através de pesquisa bibliográfica, buscamos identificar e avaliar os referenciais teóricos utilizados nas definições do conceito cidadania, seus fundamentos filosóficos e sociológicos, os quais serviram para compreender que o PUFV concilia-se às estratégias da Terceira Via como parte constitutiva das mudanças macrossociais e econômicas. Dessa maneira, o foco da análise é a privatização do setor educacional público e suas implicações, considerando os interesses públicos e privados em uma sociedade de classes que perpassam o Estado e a sociedade civil. O que motivou a problematização foi a tamanha força que assume o conceito cidadania a ponto de servir como elemento de referência para reformas em políticas educacionais e sociais. Analisamos em que medida o PUFV participa da sociedade civil mercantil, concebe a formação dos cidadãos e se materializa no setor público, tendo em vista a expansão da atuação nas redes públicas de ensino em todo o país. Problematizamos as especificidades da concepção de cidadania que incita à cooperação e ao empreendedorismo incididas sobre as demandas do setor produtivo, e que apresentam tipicidades específicas do projeto hegemônico. Notamos que a pedagogia de projetos, ao estimular a autonomia dos estudantes para a resolução de problemas da realidade em que vivem os estudantes, repassa ao indivíduo a responsabilidade de fazer o que seria um direito social deste e consequentemente instiga o autogoverno de si mesmo e a autogestão das misérias locais, por consequência, este modelo de aprendizagem é uma engrenagem que destitui do poder público o papel de garantidor dos direitos universais e incentiva a caridade e o empreendedorismo para a resolução de situações reais das comunidades locais. Entendemos que as implicações da retirada do Estado como executor de políticas sociais universais e o protagonismo do mercado como parâmetro de qualidade para a educação induzem a adaptação da cidadania aos ditames do capital. Ao estimular a cooperação mútua, os conflitos das relações de poder existente são apaziguados pelo estímulo à solidariedade e a responsabilidade social. Evidenciou-se que a interferência na relação entre educação e trabalho para atender as exigências decorrentes da reestruturação produtiva, em termos de qualificação dos recursos humanos, em consequência, impõe demandas que passam a ser atendidas no sistema de ensino. Trabalhamos na hipótese de que o desafio da formação do cidadão exige a superação do referencial hegemônico e promova a emancipação dos cidadãos através da integração entre educação e trabalho.
Abstract: This dissertation analyzed the conception of citizenship that the SICREDI Foundation (FS) fosters in partnerships with 274 Brazilian municipalities through the Cooperative Education Program "A União Faz a Vida" (PUFV), whose objective is to form cooperative citizens through the methodology of thematic projects. Through bibliographic research, we sought to identify and evaluate the theoretical references used in the definitions of the concept of citizenship, its philosophical and sociological foundations, which served to understand that the PUFV reconciles with the strategies of the Third Sector as a constituent part of macrossocial and economic changes. In this way, the focus of the analysis is the privatization of the public education sector and its implications, considering the public and private interests in a society of classes that cross the State and civil society. What motivated the problematization was the great force that assumes the concept of citizenship to the point of serving as a reference point for reforms in educational and social policies. We analyze the extent to which the PUFV participates in the commercial civil society, conceives the formation of citizens and materializes in the public sector, with a view to expanding the performance of public education networks throughout the country. We problematize the specificities of the conception of citizenship that encourages cooperation and entrepreneurship focused on the demands of the productive sector, and which present specific types of hegemonic project. We note that project pedagogy, by stimulating students' autonomy to solve problems of the reality in which students live, gives the individual the responsibility to do what would be a social right of the students and consequently instigates self-government of oneself and self-management of local miseries, as a consequence, this learning model is a mechanism that deprives the public power of the role of guarantor of universal rights and encourages charity and entrepreneurship to solve real situations of local communities. We understand that the implications of the withdrawal of the State as executor of universal social policies and the role of the market as a quality parameter for education induce the adaptation of citizenship to the dictates of capital. By stimulating mutual cooperation, the conflicts of the existing power relations are appeased by the stimulus to solidarity and social responsibility. It was evidenced that the interference in the relationship between education and job to meet the requirements resulting from the productive restructuring, in terms of human resources qualification, consequently imposes demands that are now being met in the education system. We work in the hypothesis that the challenge of the formation of the citizen demands the overcoming of the hegemonic referential and promotes the emancipation of the citizens through the integration between education and work.
Keywords: Cidadania
Citizenship
Público e privado na Educação
Educação cooperativa
Cidadão cooperativo-empreendedor
Educação e trabalho
Public and private in education
Cooperative education
Cooperative-entrepreneurial citizen
Education and job
CNPq areas: CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
Idioma: por
País: Brasil
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Centro de Ciências Humanas
Program: Programa de Pós-Graduação em Educação
Campun: Francisco Beltrão
Citation: SCHMIDT, Felipe José. Concepção de cidadania do programa de Educação Cooperativa “A União Faz a Vida” da Fundação Sicredi: adaptação ou emancipação. 2017. 154 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Francisco Beltrão, 2017 .
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://tede.unioeste.br/handle/tede/3269
Issue Date: 1-Nov-2017
Appears in Collections:Mestrado em Educação (FBE)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_Felipe Schmidt_CD.pdf3.02 MBAdobe PDFView/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons