Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede.unioeste.br/handle/tede/5795
Tipo do documento: Tese
Title: Atratividade e palatabilidade de hidrolisados proteicos líquidos e secos e de aminoácidos para alevinos de dourado (Salminus brasiliensis)
Other Titles: Attractiveness and palatability of liquid and dry protein hydrolysates and amino acids for dourado fingerlings (Salminus brasiliensis)
Autor: Hattori, Jahina Fagundes de Assis 
Primeiro orientador: Boscolo, Wilson Rogério
Primeiro coorientador: Alves, Denis Rogério Sanches
Primeiro membro da banca: Boscolo, Wilson Rogério
Segundo membro da banca: Signor, Altevir
Terceiro membro da banca: Bittencourt , Fábio
Quarto membro da banca: Ballester, Eduardo Luis Cupertino
Quinto membro da banca: Portz, Leandro
Resumo: Esse estudo foi conduzido com o objetivo de determinar a atrato-palatabilidade de alevinos de Dourado (Salminus brasiliensis) alimentados com rações contendo diferentes proteínas hidrolisadas líquidas e secas, proteína integra e aminoácidos em comparação com a farinha de peixe. Foram realizados dois experimentos: No primeiro, o objetivo foi comparar a atratividade e palatabilidade de hidrolisados líquidos em comparação com a farinha de peixe, para tanto foram formuladas seis dietas experimentais contendo 10% de inclusão de farinha de peixe (FM; controle positivo), 5% de inclusão de proteína hidrolisada líquida da mucosa suína (SPH), 5% de inclusão de proteína hidrolisada líquida de aves (PPH) e 5% de inclusão de um blend de proteína hidrolisada líquida de aves e proteína hidrolisada líquida da mucosa suína (SPH+PPH), 5% de inclusão de um hidrolisado comercial Scanbio (CHS) e 5% de inclusão de um hidrolisado comercial VNF (CHV). Doze alevinos (5.51 ± 0.41g) foram distribuídos em 12 aquários com capacidade para 22 litros, sendo os animais alimentados seis vezes ao dia, por meio de sorteio prévio e aleatório das dietas ofertadas. Foram oferecidos oito péletes por alimentação e na filmagem de três minutos foram verificados os seguintes comportamentos: tempo para capturar o primeiro pélete, número de rejeições, número de aproximação sem captura de pélete e número de péletes consumidos. Para o cálculo de índice de palatabilidade (IP) foi utilizado a equação: IP = ((R-C)/(R+C))*100. Verificou-se que, a dieta contendo proteína hidrolisada de mucosa suína (SPH) com índice de 8.22% e hidrolisado VNF (CHV) com índice de 0.61% possuem índice de palatabilidade positivo em relação ao controle positivo (FM), as outras alimentações obtiveram índice negativo (CHS -0.78%, PPH-3.16%, e SPH+PPH -3.32%). Assim pode-se considerar que os hidrolisados líquidos testados, de acordo com o índice de palatabilidade, são substitutos satisfatórios, em relação a palatabilidade, para a farinha de peixe. O segundo experimento foi realizado com o objetivo de comparar a atratividade e palatabilidade de hidrolisados protéicos seco (proteína hidrolisada de frango e proteína hidrolisada de tilápia), proteína integra (farinha de vísceras) e dos aminoácidos DL-metionina e glutamato monossódico, em comparação com a farinha de peixe na dieta do dourado (Salminus brasiliensis). Seis dietas experimentais foram formuladas contendo: 10% de inclusão de farinha de tilápia (TM; controle positivo), 10% de inclusão de farinha de vísceras de aves (VM), 10% de inclusão de proteína hidrolisada de frango (PHP), 10% de inclusão de proteína hidrolisada de tilápia (THP), 6 % de inclusão de DL-metionina e 6% de inclusão de glutamato monossódico. Doze alevinos (8.33 ± 1.81 g) foram distribuídos em 12 aquários com capacidade para 22 litros, os animais foram alimentados seis vezes ao dia, por meio de sorteio prévio e aleatório das dietas ofertadas. Foram oferecidos 15 péletes por alimentação e na filmagem de três minutos observou-se os seguintes comportamentos: tempo para capturar o primeiro pélete, número de rejeições de pélete, número de aproximação sem captura de pélete e número de péletes consumidos. Das dietas ofertadas, três alimentações alcançaram índice positivo em relação à ração controle positivo (TM), Proteína Hidrolisada de Frango (PHP) com índice de 7.86%, Proteína Hidrolisada de Tilápia (THP) com índice de 7.82% e Farinha de Vísceras (VM) com índice de 0,89%, as outras alimentações obtiveram índice negativo, Metionina (MET) com índice de -34.44% e Glutamina (GLU) com índice -35.48%. As alimentações com a inclusão de hidrolisados protéicos (PPH,THP), farinha de tilápia e a farinha de vísceras obtiveram diferenças estatísticas (P>0,05) em relação as dietas contendo a inclusão de DL-metionina e ácido glutâmico. Conclui-se assim que os hidrolisados secos testados e a farinha de vísceras são substitutos favoráveis em relação a farinha e peixe para o Dourado (Salminus brasiliensis). E por fim, foi realizada a modelagem matemática para a atratividade e palatabilidade de Dourado. O modelo proposto (IAP) levou em conta mais comportamentos, diferente da equação usada anteriormente (IP). Os parâmetros utilizados foram: tempo de captura total dos péletes oferecidos, tempo de captura do primeiro pélete, quantidade de ingestão de péletes e quantidade de rejeição de péletes. Para avaliar a equação foram usados os dados experimentais referentes aos Capítulos 1 e 2 desse trabalho. Observou-se alterações do IAP, em relação a equação proposta anteriormente. A ração que continha o hidrolisado comercial Scanbio IP negativo (-0.78%), com a equação proposta neste trabalho ele passa a ocupar a segunda colocação de preferência (26.96%). Os dados experimentais contidos no Capítulo 2 permaneceram com diferença estatística , no entanto, ocorreu mudança na ordem da preferência. A ração controle positivo (FT) que possuía índice de palatabilidade neutro (0.00%) na equação anterior, tem 57.16% de IAP na equação proposta, passando da quarta para a terceira posição na preferência. O modelo matemático IAP encontrado mostrou-se eficiente para os dados experimentais referentes aos estudos de atratividade e palatabilidade realizados com Dourado.
Abstract: This study was carried out to determine the palatability of Dourado fingerlings (Salminus brasiliensis) fed diets containing different hydrolyzed liquid and dry proteins, whole protein, and amino acids compared to fish meal. Two experiments were carried out: In the first one, the objective was to compare the attractiveness and palatability of liquid hydrolysates compared to fishmeal, for which six experimental diets were formulated containing 10% fishmeal inclusion (FM; positive control), 5% inclusion of liquid porcine mucosa protein hydrolysate (PMH), 5% inclusion of liquid chicken protein hydrolysate (CPH) and 5% inclusion of a blend of liquid chicken protein hydrolysate and liquid porcine mucosa protein hydrolysate (CPH+PMH), 5% inclusion of a Scanbio commercial hydrolysate (SCH) and 5% inclusion of a VNF commercial hydrolysate (VFH). Twelve fingerlings (5.51 ± 0.41g) were distributed in 12 aquariums with a capacity of 22 liters, and the animals were fed six times a day, by means of a previous and random selection of the offered diets. Eight pellets were offered per feed and the following behaviors were verified in the three-minute filming: time to capture the first pellet, number of rejections, number of approaches without pellet capture, and number of pellets consumed. To calculate the palatability index (PI) the equation was used: PI = ((R-C)/(R+C))*100 (where R is the number of pellets consumed of the feed tested and C is the number of pellets consumed of the control feed. It was found that the diet containing porcine mucosa protein hydrolysate (PMH) with an index of 8.22% and VNF commercial hydrolysate (VFH) with an index of 0.61% have a positive palatability index in relation to the positive control (FM), the other foods obtained negative index (SCH -0.78%, CPH-3.16%, and PMH+CPH -3.32%). Thus, it can be considered that the liquid hydrolysates tested, according to the palatability index, are satisfactory substitutes, in terms of palatability, for fish meal. The second experiment was carried out with the objective of comparing the attractiveness and palatability of dry protein hydrolysates (chicken protein hydrolysate and tilapia protein hydrolysate), whole protein (viscera meal), and the amino acids DL-methionine and monosodium glutamate, in comparison with fish meal in the diet of dourado (Salminus brasiliensis). Six experimental diets were formulated containing: 10% inclusion of tilapia meal (TM; positive control), 10% inclusion of chicken offal meal (COM), 10% inclusion of chicken protein hydrolysate (CPH), 10 % inclusion of tilapia protein hydrolysate (TPH), 6% inclusion of DL-methionine and 6% inclusion of monosodium glutamate. Twelve fingerlings (8.33 ± 1.81 g) were distributed in 12 aquariums with a capacity of 22 liters, the animals were fed six times a day, by means of a previous and random selection of the offered diets. Fifteen pellets were offered per feed and the following behaviors were observed in the three-minute filming: time to capture the first pellet, number of pellet rejections, number of approaches without pellet capture, and number of pellets consumed. Among the diets offered, three feeds reached a positive index in relation to the positive control (TM), Chicken Protein Hydrolysate (CPH) with an index of 7.86%, Tilapia Protein Hydrolysate (TPH) with an index of 7.82%, and Viscera Meal (VM) with an index of 0.89%, the other foods had a negative index, Methionine (MET) with an index of -34.44% and Glutamine (GLU) with an index of -35.48%. Feeds with the inclusion of protein hydrolysates (CPH, TPH), tilapia meal, and viscera meal showed statistical differences (P>0.05) in relation to diets containing the inclusion of DL-methionine and glutamic acid. It is concluded that the tested dry hydrolysates and the viscera meal are favorable substitutes in relation to meal and fish for dourado (Salminus brasiliensis). Finally, mathematical modeling was carried out for the attractiveness and palatability of dourado. The proposed model (IAP) took into account more behaviors, different from the equation used previously (PI). The parameters used were: total capture time of the pellets offered, time of capture of the first pellet, amount of pellet ingestion, and amount of pellet rejection. To evaluate the equation, experimental data from Chapters 1 and 2 of this work were used. Changes were observed in the IAP, in relation to the equation proposed above. The feed containing the Scanbio commercial hydrolysate PI negative (-0.78%), with the equation proposed in this work, occupies the second place of preference (26.96%). The experimental data contained in Chapter 2 remained with a statistical difference, however, there was a change in the order of preference. The positive control diet (TM) had a neutral palatability index (0.00%) in the previous equation, and it has 57.16% of IAP in the proposed equation, moving from the fourth to the third position in preference. The mathematical model IAP found proved to be efficient for the experimental data referring to studies of attractiveness and palatability carried out with dourado.
Keywords: Aquicultura
Atrativo alimentar
Comportamento
Nutrição
Aquaculture
Food attractant
Behavior
Nutrition
CNPq areas: CIENCIAS AGRARIAS::RECURSOS PESQUEIROS E ENGENHARIA DE PESCA
Idioma: por
País: Brasil
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Centro de Engenharias e Ciências Exatas
Program: Programa de Pós-Graduação em Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca
Campun: Toledo
Citation: HATTORI, Jahina Fagundes de Assis. Atratividade e palatabilidade de hidrolisados proteicos líquidos e secos e de aminoácidos para alevinos de dourado (Salminus brasiliensis). 2022. 83 f. Tese (Doutorado em Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Toledo, 2022.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.unioeste.br/handle/tede/5795
Issue Date: 31-Jan-2022
Appears in Collections:Doutorado em Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca (TOL)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Jahina_Hattori_2022.pdf1.23 MBAdobe PDFView/Open Preview


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.