Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unioeste.br/handle/tede/4725
Tipo do documento: Dissertação
Title: Avaliação ecotoxicológica do hormônio 17α-metiltestosterona
Other Titles: Ecotoxicological evaluation of the hormone 17α-methyltestosterone
Autor: Nogueira, Daniella Ventura 
Primeiro orientador: Lindino, Cleber Antônio
Primeiro coorientador: Sebastien, Nyamien Yahaut
Segundo coorientador: Rodrigues, Luciana Paula Grégio D'Arce
Primeiro membro da banca: Lindino, Cleber Antônio
Segundo membro da banca: Zenatti, Dilcemara Cristina
Terceiro membro da banca: Agustini, Márcia Antonia Bartolomeu
Resumo: No setor da piscicultura, principalmente para o cultivo de Tilápias-do-Nilo, foram desenvolvidas algumas técnicas para o aumento da produção de carne de peixe. Dentre elas, a masculinização dos alevinos, fase larval das tilápias, é uma técnica vantajosa, pois o macho é maior e produz mais carne além de produzir população monossexo que diminui a chance de superpopulação. Para que ocorra a masculinização, tem sido utilizado o hormônio 17α-metiltestosterona (MT) e sua administração se dá por meio de banhos de imersão contendo o hormônio ou adicionando-o na ração que é fornecida aos peixes. O seu uso tem gerado preocupações, pois, após seu uso, os efluentes dos tanques, contendo o hormônio, são lançados sem tratamento nos corpos hídricos atingindo ecossistemas aquáticos e consequentemente o ser humano por meio da ingestão de água contaminada. Com isso, o objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos tóxicos da MT por meio de testes ecotoxicológicos com ensaios agudos e crônicos com os organismos Daphnia magna, Scenedesmus acuminatus e genotoxicidade com Allium cepa, utilizando assim diferentes níveis tróficos para determinar o método que apresente o menor nível de toxicidade do hormônio. Foram realizados ensaios agudo e crônico com a MT nas concentrações de 10-100 µg L-1 e 750-1500 µg L-1 com Daphnia magna, no qual foi medida a imobilidade ou letalidade dos organismos, e a longevidade e fecundidade respectivamente. No ensaio crônico, com Scenedesmus acuminatus, nas concentrações de 750-1500 µg L-1, foi avaliado o crescimento/inibição das microalgas. No ensaio de genotoxicidade e mutagenicidade com Allium cepa nas concentrações de 750 µg L-1 e 1500 µg L-1, foi avaliada a formação de alterações cromossômicas, alterações nucleares e micronúcleos de células em divisão nos meristemas das raízes da cebola. A análise estatística com Daphnia magna e Scenedesmus acuminatus foi realizada por meio da Análise de Variância (ANOVA) e as médias dos tratamentos foram comparadas usando o Teste de Tukey, com nível de significância de 5% (α = 0,05). Os resultados com Allium cepa foram verificados pelo teste de Kolmogorov-Smirnov, as comparações foram realizadas usando one-way ANOVA e quando houve diferença (p <0,05), o teste de Dunnett foi aplicado. Para os ensaios de toxicidade aguda com Daphnia magna, a MT não se mostrou tóxica em nenhuma das concentrações testadas, como também para o ensaio de toxicidade crônica, a não ser pelo aparecimento de ovos de resistência (efípios) nas maiores concentrações, 1250 µg L-1 e 1500 µg L-1. Para o ensaio crônico com Scenedesmus acuminatus, a MT inibiu o crescimento algáceo nas maiores concentrações testadas, sendo elas 1250 µg L-1 e 1500 µg L-1. No ensaio de genotoxicidade e de mutagenicidade houve aumento na formação de brotos nucleares e micronúcleos na concentração de 750 µg L-1, sendo esta diferença estatisticamente significativa. Os resultados deste estudo evidenciaram que o hormônio 17α-metiltestosterona possui ação mutagênica e genotóxica sobre a cebola e inibição do crescimento da microalga testada, e que da mesma forma pode afetar outros organismos.
Abstract: Within the pisciculture sector, for the cultivation of Nile Tilapia, some techniques have been developed to increase fish meat production. Among them, the masculinization of fingerlings, larval phase of tilapia, is an advantageous technique because the male is larger and produces more meat and having a monosexual population reduces the chance of overpopulation. For masculinization to occur, the hormone 17α-methyltestosterone (MT) has been used. It is administered by immersion baths containing the hormone or by adding it to the fish feed. Its use has raised concerns because, after its use, the effluents from the hormone-containing tanks are discharged untreated into water bodies reaching aquatic ecosystems and consequently humans through ingestion of contaminated water. Thus, the aim of this study was to evaluate the toxic effects of MT by ecotoxicological tests with acute and chronic tests with the organisms Daphnia magna, Scenedesmus acuminatus and genotoxicity with Allium cepa, using different trophic levels to determine the method that presents the lowest level of hormone toxicity. Acute and chronic MT assays were performed at concentrations of 10-100 µg L-1 and 750-1500 µg L-1 with Daphnia magna, which measured the immobility or lethality of organisms, and longevity and fecundity respectively. In the chronic assay with Scenedesmus acuminatus at concentrations of 750-1500 µg L-1, growth / inhibition of microalgae was evaluated. And in the genotoxicity and mutagenicity assay with Allium cepa at concentrations of 750 µg L-1 and 1500 µg L-1, the formation of chromosomal alterations, nuclear alterations and dividing cell micronuclei in onion root meristems was evaluated. Statistical analysis with Daphnia magna and Scenedesmus acuminatus was performed using Analysis of Variance (ANOVA) and treatment averages were compared using the Tukey test, with a significance level of 5% (α = 0.05). Allium cepa results were verified by the Kolmogorov-Smirnov test, comparisons were performed using one-way ANOVA and when there was a difference (p <0.05), the Dunnett test was applied. For acute toxicity tests with Daphnia magna, MT was not toxic at any of the tested concentrations, as well as for the chronic toxicity test, except for the appearance of resistance eggs (ephipians) at the highest concentrations, 1250 µg L -1 and 1500 µg L-1. For the chronic trial with Scenedesmus acuminatus, MT inhibited algal growth at the highest concentrations tested, being 1250 µg L-1 and 1500 µg L-1. In with onion the assay there was an increase in the formation of nuclear sprouts and micronuclei at a concentration of 750 µg L-1, and this difference was statistically significant. The results of this study showed that the 17α-methyltestosterone hormone has mutagenic and genotoxic action on onion and inhibition of growth of the tested microalgae, and may affect other organisms as well.
Keywords: Daphnia magna
Scenedesmus acuminatus
Allium cepa
Genotoxicidade e mutagenicidade
Ovos haploides
Genotoxicity and mutagenicity
Haploid eggs.
CNPq areas: ECOLOGIA::ECOLOGIA APLICADA
Idioma: por
País: Brasil
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas
Program: Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais
Campun: Toledo
Citation: NOGUEIRA, Daniella Ventura. Avaliação ecotoxicológica do hormônio 17α-metiltestosterona. 2019. 64 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Toledo, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.unioeste.br/handle/tede/4725
Issue Date: 9-Sep-2019
Appears in Collections:Mestrado em Ciências Ambientais (TOL)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Daniella_Nogueira_2019.pdf2.07 MBAdobe PDFView/Open Preview


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.