Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unioeste.br/handle/tede/4608
Tipo do documento: Dissertação
Title: Estratégias de utilização de Beauveria bassiana (Hypocreales: Cordycipitaceae) visando ao controle de Gyropsylla spegazziniana (Lizer & Trelles, 1919) (Hemiptera: Aphalaridae)
Other Titles: Estratégias de utilização de Beauveria bassiana (Hypocreales: Cordycipitaceae) visando ao controle de Gyropsylla spegazziniana (Lizer & Trelles, 1919) (Hemiptera: Aphalaridae)
Autor: Loeblein, Jaqueline Suelen 
Primeiro orientador: Alves  , Luis Francisco Angeli
Primeiro coorientador: Coracini, Miryan Denise Araújo
Primeiro membro da banca: Pinto , Fabiana Gisele da Silva
Segundo membro da banca: Oliveira , Daian Guilherme Pinto de
Terceiro membro da banca: Schapovaloff , Maria Elena
Resumo: Gyropsylla spegazziniana é considerada uma das principais pragas da cultura da erva-mate, apresentando aspectos bioecológicos que resultam em perdas que já foram estimadas em até 54%. Durante seu desenvolvimento na planta, os danos causados durante a fase ninfal resultam na redução da área foliar, aumento do número de partícula de insetos na matéria-prima e redução da qualidade do produto final. Atualmente, o controle se limita à catação manual, poda e destruição dos ramos infestados, sendo proibido o emprego de inseticidas químicos por ser um produto consumido praticamente “in natura”. Em razão da ausência de produtos químicos registrados para o controle deste inseto torna-se necessária a exploração de métodos mais sustentáveis e que possam vir a ser utilizados para o controle desta praga. Desta forma, este trabalho teve por objetivo avaliar estratégias de uso do fungo Beauveria bassiana isolado Unioeste 44, visando ao manejo de G. spegazziniana, por meio da pulverização aquosa com adjuvantes e dispositivos de atração-e-infecção. A eficácia dos adjuvantes com o fungo variou com o método de inoculação utilizado, sendo eles contato direto e residual. A pulverização direta resultou nas maiores mortalidades, variando de 43-57% para aplicação isolada dos produtos Assist® e Áureo® e 65-74% em aplicação com o fungo, enquanto o efeito do contato residual resultou em mortalidades reduzidas, 6-31% para aplicação apenas dos adjuvantes e 16-48% para a aplicação com B. bassiana. A análise de compatibilidade indicou que os adjuvantes avaliados foram compatíveis com o fungo B. bassiana. Quatro dispositivos de autoinoculação foram comparados em condições de laboratório utilizando diferentes preparações de B. bassiana e terra de diatomáceas. Testes preliminares comprovaram o potencial de atração da cor amarela para adultos de G. spegazziniana, assim como a contaminação dos insetos com superfície impregnada com o patógeno. A confirmação de morte pelo fungo foi significativa apenas no dispositivo fabricado de armadilhas comerciais Colortrap®. Observou-se transmissão horizontal da infecção fúngica tanto com cadáveres esporulados quanto com vivos contaminados. Utilizando os dispositivos de atração-e-infecção foi constatada até 94% de mortalidade dos insetos na ausência de SPLAT® e 90% na presença da cera, não havendo acréscimo de mortalidade quando foi utilizada a cera emulsionada SPLAT®. Observou-se redução na viabilidade do patógeno nas armadilhas em função do tempo de armazenamento, porém a mortalidade de G. spegazziniana expostos ao fungo manteve-se acima de 50%, mesmo após 21 dias de armazenamento. Em bioensaios com gaiolas teladas constatou-se mortalidade de 88% da população. Estes resultados indicam que o fungo Beauveria bassiana é promissor para a utilização no controle de G. spegazziniana, assim com para a continuidade dos estudos em condições de semi-campo e em campo.
Abstract: Gyropsylla spegazziniana is considered one of the main pests of yerba mate crop, presenting bioecological aspects that result in losses that have been estimated up to 54%. During its development in the plant, damage during the nymphal phase results in reduced leaf area, increased number of insect particles in the raw material and reduced quality of the final product. Currently, the control is limited to manual collection, pruning and destruction of the infested branches, being prohibited the use of chemical insecticides because it is a product consumed practically “in natura”. Due to the absence of registered chemicals for the control of this insect, it is necessary to explore more sustainable methods that may be used to control this pest. Thus, this study aimed to evaluate strategies for the use of the fungus Beauveria bassiana isolated Unioeste 44, aiming at the management of G. spegazziniana through aqueous spraying with adjuvants and attraction-and-infection devices. The efficacy of the adjuvants with the fungus varied with the inoculation method used, being direct and residual contact. Direct spraying resulted in the highest mortality, ranging from 43-57% for isolated application of Assist® and Áureo® products and 65-74% for application with fungus, while the effect of residual contact resulted in reduced mortality, 6-31%. for application of adjuvants only and 16-48% for application with B. bassiana. Compatibility analysis indicated that the adjuvants evaluated were compatible with the B. bassiana fungus. Four autoinoculation devices were compared under laboratory conditions using different preparations of B. bassiana and diatomaceous earth. Preliminary tests proved the potential for attracting the yellow color of G. spegazziniana to adults, as well as the contamination of insects with surface impregnated with the pathogen. Confirmation of death by the fungus was significant only in the Colortrap® commercially manufactured trap device. Horizontal transmission of fungal infection was observed with both sporulated and living contaminated corpses. Using attraction-and-infection devices, up to 94% of insect mortality in the absence of SPLAT® and 90% in the presence of wax were found, with no increase in mortality when the emulsified SPLAT® wax was used. Pathogen viability was reduced in traps as a function of storage time, but mortality of G. spegazziniana exposed to the fungus remained above 50%, even after 21 days of storage. Bioassays with screened cages showed mortality of 88% of the population. These results indicate that the fungus Beauveria bassiana is promising for use in the control of G. spegazziniana, as well as for the continuity of studies under semi-field and field conditions.
Keywords: Autoinoculação
Controle microbiano
Ilex paraguariensis
Ampola-da-erva-mate
Pulverização
Autoinoculation
Microbial control
Ilex paraguariensis
Paraguay tea ampul
Pulverization
CNPq areas: CIENCIAS BIOLOGICAS
Idioma: por
País: Brasil
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde
Program: Programa de Pós-Graduação em Conservação e Manejo de Recursos Naturais
Campun: Cascavel
Citation: LOEBLEIN, Jaqueline Suelen. Estratégias de utilização de Beauveria bassiana (Hypocreales: Cordycipitaceae) visando ao controle de Gyropsylla spegazziniana (Lizer & Trelles, 1919) (Hemiptera: Aphalaridae). 2019. 105 f. Dissertação( Mestrado em Conservação e Manejo de Recursos Naturais) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
URI: http://tede.unioeste.br/handle/tede/4608
Issue Date: 8-Nov-2019
Appears in Collections:Mestrado em Conservação e Manejo de Recursos Naturais (CVL)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Jaqueline_Loeblein_2019.pdfArquivo completo1.61 MBAdobe PDFView/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons