Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unioeste.br/handle/tede/4292
Tipo do documento: Dissertação
Title: Atividade antifúngica, controle da pinta preta e ativação de mecanismos de defesa em tomateiro por óleos essenciais
Autor: Hendges, Camila 
Primeiro orientador: Stangarlin, José Renato
Primeiro coorientador: Nozaki, Márcia de Holanda
Primeiro membro da banca: Stangarlin, José Renato
Segundo membro da banca: Kuhn, Odair José
Terceiro membro da banca: Franzener, Gilmar
Resumo: A pinta preta, cujo agente causal é o fungo Alternaria solani, é uma das doenças que mais atinge o tomateiro, sendo que o prejuízo afeta diretamente a produtividade. Uma forma de controle dessa e de outras doenças é o uso de óleos essenciais, podendo substituir a utilização de fungicidas, não causando danos ao meio ambiente e ao homem. Diante do exposto, este trabalho foi realizado objetivando avaliar a atividade antifúngica, o controle da pinta preta e a ativação de enzimas de defesa em tomateiro tratado com os óleos essenciais de bergamota (Citrus aurantium), citronela (Cymbopogon nardus) e melaleuca (Melaleuca alternifolia). Os experimentos com cada óleo foram conduzidos separadamente. Discos miceliais do patógeno A. solani foram depositados em placas de Petri que continham os tratamentos: 0, 500, 1000, 1500, 2000 e 2500 µL L-1 de óleo essencial e fungicida (azoxistrobina + difenoconazol). As placas foram armazenadas em BOD a 25 °C e escuro, sendo avaliados os parâmetros de crescimento micelial e esporulação. Sementes de tomate foram semeadas em bandeja de poliestireno expandido e após 30 dias foram transplantadas para cultivo no chão em casa de vegetação. Após 15 dias foram aplicados os tratamentos, nas concentrações citadas anteriormente, na segunda folha na parte inferior da planta, sendo que após 72 horas foi inoculado o patógeno nas folhas tratadas (segundo par de folhas) e nas não tratadas (terceiro par de folhas). A severidade da doença foi expressa por meio da área abaixo da curva de progresso da doença (AACPD). Também foram avaliadas as enzimas peroxidase, polifenoloxidase e fenilalanina amônia-liase envolvidas no processo de defesa. Nesse ensaio para análise enzimática foram utilizadas as concentrações de óleo de 2500 µL L-1 para bergamota, 2000 µL L-1 para citronela e 1500 µL L-1 para melaleuca. O aumento das concentrações de todos os óleos essenciais inibiu o crescimento micelial do patógeno. A esporulação do patógeno apresentou decréscimo com o aumento das concentrações dos óleos essenciais de bergamota e citronela, porém, para o óleo de melaleuca, a esporulação foi favorecida com o acréscimo das concentrações. A concentração de 2500 μL L-1 resultou na menor AACPD, tanto nas folhas tratadas (21,59%) quanto nas não tratadas (53,69%) para o óleo essencial de bergamota. Já para o óleo de citronela, a AACPD foi reduzida em 38,14% nas folhas tratadas com a concentração de 2500 µL L-1 e em 51,32% nas não tratadas. Nas folhas tratadas com óleo essencial de melaleuca, a concentração 1500 μL L-1 apresentou a maior redução da AACPD, correspondente a 53,32%, sendo que nas folhas não tratadas a concentração mais eficaz foi 2000 μL L-1 com inibição de 42,30%. Incremento na atividade de peroxidase e fenilalanina amônialiase foi observada com os óleos essenciais de bergamota, citronela e melaleuca. A atividade de polifenoloxidase, por sua vez, apresentou incremento com os óleos de bergamota e citronela. Os óleos essenciais de bergamota, citronela e melaleuca podem ser uma alternativa no controle da pinta preta do tomateiro.
Abstract: The early blight, caused by the fungus Alternaria solani, is one of the diseases that most affects the tomato crops, whose damage directly affects the productivity. A source of inhibition of this and other diseases is the use of essential oils, which may replace the use of fungicides, causing no harm to the environment or human. This work was carried out with the aim of evaluating the antifungal activity, the control of the early blight and activation of defense enzymes in tomato treated with the essential oils of bergamot orange (Citrus aurantium), citronella (Cymbopogon nardus) and tea tree (Melaleuca alternifolia). Experiments with each oil were conducted separately. Mycelial disks of the A. solani pathogen were deposited on Petri dishes containing the treatments: 0, 500, 1000, 1500, 2000 and 2500 μL L-1 of essential oil and fungicide (azoxystrobin + diphenoconazole), maintained in BOD at 25 °C and dark, and the parameters of mycelial growth and sporulation were evaluated. Tomato seeds were sown in an expanded polystyrene tray and after 30 days were transplanted to the ground under greenhouse conditions. After 15 days the treatments mentioned above were applied to the second pair of leaves in the lower part of the plant, and after 72 hours the pathogen was inoculated in the treated leaves (second pair of leaves) and untreated (third leaves). The severity of the disease was expressed through the area under the disease progress curve (AUDPC). The enzymes involved in the defense process were also evaluated, such as peroxidase, polyphenoloxidase and phenylalanine ammonia-lyase, using the oil concentrations of 2500 μL L-1 for bergamot, 2000 μL L-1 for citronella and 1500 μL L-1 to tea tree. The increase of the concentrations of all the essential oils decreased the mycelial growth of the pathogen. The sporulation of the pathogen decreased with the increase of the essential oil concentrations of bergamot and citronella, but to the oil of tea tree, the sporulation was favored with the addition of the concentrations. The concentration of 2500 μL L-1 resulted in the lowest AUDPC, both in treated (21.59%) and untreated (53.69%) leaves for bergamot essential oil. For citronella oil, AUDPC was reduced by 38.14% in treated leaves and 51.32% in those not treated with the concentrations of 2500 μL L-1. In the leaves treated with essential oil of tea tree, the concentration 1500 μL L-1 presented the largest reduction of AUDPC, corresponding to 53.32%, and in the untreated leaves the most effective concentration was 2000 μL L-1 with inhibition of 42.30%. Increase in the activity of peroxidase and phenylalanine ammonia-lyase was observed with the essential oils of bergamot, citronella and tea tree. The polyphenoloxidase activity, on the other hand, presented increase just with the oils of bergamot and citronella. The essential oils of bergamot, citronella and tea tree can be an alternative in the control of the early blight of tomato.
Keywords: Alternaria solani
Citrus aurantium
Cymbopogon nardus
Melaleuca alternifolia
Controle alternativo
Indução de resistência
CNPq areas: CIÊNCIAS AGRÁRIAS:AGRONOMIA
Idioma: por
País: Brasil
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Centro de Ciências Agrárias
Program: Programa de Pós-Graduação em Agronomia
Campun: Marechal Cândido Rondon
Citation: HENDGES, Camila. Atividade antifúngica, controle da pinta preta e ativação de mecanismos de defesa em tomateiro por óleos essenciais. 2019. 70 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Marechal Cândido Rondon, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
URI: http://tede.unioeste.br/handle/tede/4292
Issue Date: 27-Feb-2019
Appears in Collections:Mestrado em Agronomia (MCR)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Camila_Hendges_2019.pdf1.89 MBAdobe PDFView/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons