Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unioeste.br/handle/tede/2393
Tipo do documento: Dissertação
Title: O estudo de nomes próprios de nipo-brasileiros de Terra Roxa
Autor: Nabão, Rosangela Martins 
Primeiro orientador: Borstel, Clarice Nadir Von
Primeiro membro da banca: Cattelan, João Carlos
Segundo membro da banca: Damke, Ciro
Terceiro membro da banca: Doi, Elza Taeko
Resumo: O presente estudo constitui-se em uma pesquisa sociolingüística, objetivando compreender a relação intercultural entre japoneses e seus descendentes no Brasil, sistematizando, através da pesquisa de cunho etnográfico junto à comunidade de nipo-brasileiros residentes no município de Terra Roxa, no estado do Paraná, Brasil, a presença da etnia japonesa no Município. O fato lingüístico em estudo são os nomes próprios brasileiros e japoneses de pessoas dentro do espaço enunciativo sociocultural deste grupo étnico. O nome personativo evidencia características próprias em seu desenvolvimento morfossintático e semântico-enunciativo revelando aspectos sociais, culturais e lingüísticos, especialmente para o grupo de nipo-descendentes, pois os nomes destes brasileiros transitam por dois sistemas onomásticos diferentes: o ocidental e o oriental, sendo que o primeiro reflete a adaptação, adequação e/ou aculturamento de aspectos culturais de/no Brasil e o segundo demonstra uma forma de conservar os valores de sua origem étnica. O nome português e o nome japonês não se constituem em tradução ou versão simultâneas. Os primeiros imigrantes japoneses chegaram ao Brasil a partir de 1908. Atualmente, o Brasil possui a maior comunidade de japoneses e nipo-descendentes fora do Japão e, entre os entrevistados, os dois nisseis mais velhos possuem 94 anos e 77 anos. Não vieram diretamente para esta região, mas a presença da etnia japonesa está presente desde a formação do Município, em 1955. No ano de 2008 completar-se-ão 100 anos de imigração japonesa no País, por isso, já não é possível manter a invisibilidade deste grupo étnico e, por outro lado, a tese do conceito de monolingüismo brasileiro já não se sustenta na prática social. Os imigrantes japoneses, ou isseis, vieram em busca de riqueza. Pretendiam voltar ao Japão, mas a Segunda Guerra Mundial afetou suas identidades e decidiram ficar. No Brasil constituíram famílias e nasceram gerações nissei, sansei, yonsei, gosei, respectivamente, segunda, terceira, quarta e quinta. Recebem ainda outras denominações: nipo-brasileiros, etno-brasileiros e nipons, o que evidencia na própria linguagem a separação entre nós e outros , separação tanto por parte dos participantes do grupo étnico, que chamavam aos brasileiros de gaijin, como também pelos considerados brasileiros . Tantos eles , faz inferência a significados de diferença e de estigmatização na formação da identidade de um país que se manifesta discursando como coeso e aberto para a diversidade étnica/cultural. A investigação revela que a primeira geração foi mais conservadora quanto à manutenção da língua, demonstrando estranhamento diante dos nomes brasileiros que lhes eram designados, citando-os como apelidos ; já, a segunda geração buscou no nome brasileiro , através do batistério da igreja Católica, uma forma de fazer parte da cultura do Brasil; entre os representantes da terceira geração, alguns nomes se revelaram híbridos culturalmente, transitando entre a língua japonesa e a língua portuguesa, revelando criatividade e inclusão de valores étnicos e culturais, mas também entre os incluídos na terceira geração, o grupo entrevistado demonstrou em alguns casos apontados dúvida entre como é chamado pelas pessoas da família e como prefere ser conhecido socialmente, revelando uma ambigüidade de identificação.
Abstract: This study discusses theoretical results of the research project A Study of personal names of the Brazilians whom are Japanese descendents and live in Terra Roxa, Parana, Brazil . The purposes of this study is to try to understand the intercultural interaction among Japanese and their descendents in Brazil through the sociolinguistics information got with place research or ethnography and participant observation with traditional families group that have been living in the town, somebody since 1955, when the town was formed and to trace the history this people in this town as too. The research group is divided into the first generation - the immigrants that were born in Japan and began to live in Brazil, called isseis; the second generation - they are the first was born in Brazil, called nisseis; the third generation - they are grandsons and granddaughters of the Japanese immigrants, called sanseis. These participants are people were born since 1928 until 1999 and are involved in a sociocultural context. The personal names are the linguistic object of this study, showing how Brazilian and Japanese denominations belong to different onomastic systems: the oriental and the occidental, with morphological, syntactic and semantic different characteristics, but than they had evidenced that these etymons, first name and/or middle name and family one begin ethnic/cultural values and their traditions. The issues had evidenced the level of the adaptation and assimilation to the Brazilian culture and identity with more or less social representation of the Portuguese name and it has evidenced the pacific belonging cultural with creativeness. In 2008 will be completed 100 years what the first Japanese immigrants arrived in Brazil and it is not possible to say about this ethnic-descendents that they are invisible like participants of the historical, social and economical life in Brazil. In the other hand, the discussion had was showing than the various classified ethnic names as gaijn, several generations and adjectives that straight the Japan/Japanese, had indicated the stigmatization into the same country. This factor could take the identity crises, which is characteristic by the post-modernity. Then, beginnings of the knowledge of the cultural process Japanese person s personal name, in fact this search suggests that what is important above Brazil to need have recognized the interaction cultural and linguistic and respect to minorities groups and the education should have a culturally responsive pedagogy.
Keywords: estudos sociolingüísticos
multiculturalismo
nomes e sobrenomes
nipo-brasileiros
cultura japonesa
Sociolinguistic studies
multiculturalism
names and patronimics
niphon-Brazilian
CNPq areas: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS
Idioma: por
País: BR
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Parana
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Linguagem e Sociedade
Program: Programa de Pós-Graduação "Stricto Sensu" em Letras
Citation: NABÃO, Rosangela Martins. O estudo de nomes próprios de nipo-brasileiros de Terra Roxa. 2006. 195 f. Dissertação (Mestrado em Linguagem e Sociedade) - Universidade Estadual do Oeste do Parana, Cascavel, 2006.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.unioeste.br:8080/tede/handle/tede/2393
Issue Date: 15-Dec-2006
Appears in Collections:Mestrado em Letras (CVL)

Files in This Item:
File SizeFormat 
Rosangela.pdf1.81 MBAdobe PDFView/Open Preview


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.