Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unioeste.br/handle/tede/1018
Tipo do documento: Dissertação
Title: Práticas e percepções dos educadores infantis sobre o aleitamento materno nos Centros Municipais de Educação Infantil de Foz do Iguaçu - PR
Autor: Pereira, Bianca da Silva Alcantara 
Primeiro orientador: Zilly, Adriana
Primeiro coorientador: Silva-sobrinho, Reinaldo Antônio da
Primeiro membro da banca: Zara, Reginaldo Aparecido
Segundo membro da banca: Nishiyama, Marcia Fernandes
Resumo: O leite materno constitui o melhor alimento para o bebê nos primeiros quatro a seis meses de vida. Apesar da ampla divulgação por profissionais da saúde e mídia, manter o aleitamento materno (AM) exclusivo até os seis meses é um desafio. O aleitamento materno é um comportamento multifatorial, por isso buscar meios de promoção e garantia do AM nesse período é uma tarefa que atualmente pode ser defendida pelos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI), pois estes profissionais cada vez mais estão assumindo a responsabilidade de educação, desenvolvimento e crescimento das crianças devido a forte presença da mulher no mercado de trabalho. O objetivo do estudo foi descrever as práticas e as percepções dos educadores infantis dos CMEI s relativo a promoção do aleitamento materno aos alunos de berçário. Para isso, delineou-se o presente estudo descritivo-exploratório de abordagem qualitativa. Os participantes foram educadores infantis atuantes nos Berçários I dos CMEI s no município de Foz do Iguaçu/PR. A coleta de dados ocorreu nos meses de abril, maio e junho de 2015, após aprovação no Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Utilizou-se nos dados qualitativos, a técnica do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC) proposta por Lèfreve e Lèfreve (2005) e para a análise dos dados quantitativos, estatística descritiva. O perfil do profissional da sala de berçário I é predominantemente feminino, em idade superior a vinte e seis anos, com mais de seis anos de experiência, jornada de trabalho de 40 horas semanais, sem outros vínculos empregatícios, atuando como professor, com mais de um ano de formação profissional, possui filhos, amamentou por menos de seis meses, mesmo tendo uma experiência positiva e sem problemas com AM, afirmam sentir necessidade de educação continuada e capacitação profissional, especialmente em primeiros socorros. Sobre a infraestrutura, todas as salas de berçário I possuíam lactário com estrutura mínima necessária, a maior parte das salas do município não possuía solário ou não têm incidência solar, nenhuma instituição possui sala de amamentação, entrada livre para AM ou horário livre para amamentar e a maioria das salas contam com dois professores para quatorze alunos. A construção dos discursos do sujeito coletivo (DSC) permitiu visualizar que, na percepção das professoras, o AM é considerado negativo e não há benefícios nesta prática para crianças matriculadas no berçário I, principalmente pela indisponibilidade da mãe em ir ao CMEI. Deste modo, o local não foi considerado um bom lugar para mãe amamentar, foi apontado sete dificuldades e nenhuma facilidade para esta prática no CMEI, a principal justificativa para tal é a rotina da instituição e a dificuldade no desmame e adaptação. Os DSC s apontaram a percepção da educadora infantil sobre o AM como um empecilho à sua prática profissional e por isso o ensino, manutenção e promoção ao AM não ocorre dentro do CMEI, corroborando com esta realidade a infraestrutura não colabora com a prática do AM no local. Este é balizador para ações educativas entre estes profissionais, pois conhecer as necessidades educacionais é o primeiro passo para mudanças concretas nesta prática tão importante para mãe e filho.
Abstract: Breast milk is the best food for babies in their first four to six months of life. Despite widely publicized by the media and health professionals, keeping exclusive breastfeeding for six months is a challenge. Breastfeeding (BF) is a multifactoral behavior. Thus seeking ways to promote and ensure breastfeeding during this period is a task that can now be defended by the Municipal Centers for Early Childhood Education (CMEI) because health professionals are increasingly taking responsibility for the education, development and growth of children due the strong presence of women in the labor market. The objective of this study is to describe the practices and perceptions of CMEI's early childhood educators on the promotion of breastfeeding. For that purpose, we have designed this exploratory descriptive study of qualitative approach. Participants are early childhood educators working in CMEI's Nursery I in the city of Foz do Iguaçu/PR. Data collection occurred during the months of April, May and June 2015, after approval by the Ethics Committee of the State University of Western Paraná. It was used for the analysis of quantitative data, descriptive statistics and qualitative data, a technique of the Collective Subject Discourse (CSD) proposed by Lèfevre & Lèfevre (2005). The professional profile of Nursery I room is predominantly female, twenty-six year old, over six years of experience, 40-hour workweek, no other employment relations, teaching after over a year of training, with children, having breastfed for less than six months, even having positive experience and no problems with it (BF). They feel the need for continuing education and professional training, especially in first aid. About the infrastructure; all nursery I rooms have lactary with minimum structure required; most of the municipality's rooms do not have solarium or have no sunlight; no institution has breastfeeding room or free entrance to BF or free time for women to breastfeed and most rooms have two teachers for every fourteen students. The construction of the CSDs allowed us to see that female teachers think BF is negative and there are no benefits in this practice for children enrolled in nursery I mainly because of the mother s unwillingness to visit the CMEI. Thus, the site is not considered a good place for the mother to breastfeed. Seven difficulties and no advantage have been identified for this practice in the CMEI; the main reason was the routine of the institution and the difficulty in weaning and adaptation. DSCs point to the perception of childhood educators about BF as a hindrance to their professional practice and therefore the teaching, maintenance and promotion of breastfeeding do not occur within the CMEI, which confirms such reality. The infrastructure does not cooperate in the practice of breastfeeding inside the Municipal Center for Early Childhood Education. It is a landmark for educational activities among these professionals, because knowing educational needs is the first step for a real change in such an important practice for a mother and her child.
Keywords: aleitamento materno
berçario
educação infantil
educação em saúde
breastfeeding
nursery
childhood education
health education
CNPq areas: CIENCIAS HUMANAS:EDUCACAO
Idioma: por
País: BR
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Parana
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Centro de Educação, Letras e Saúde
Program: Programa de Pós-Graduação em Ensino
Campun: Foz do Iguaçu
Citation: PEREIRA, Bianca da Silva Alcantara. Práticas e percepções dos educadores infantis sobre o aleitamento materno nos Centros Municipais de Educação Infantil de Foz do Iguaçu - PR. 2016. 100 f. Dissertação (Mestrado em Ciências, Linguagens, Tecnologias e Cultura) - Universidade Estadual do Oeste do Parana, Foz do Iguaçu, 2016.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.unioeste.br:8080/tede/handle/tede/1018
Issue Date: 15-Feb-2016
Appears in Collections:Mestrado em Ensino (FOZ)

Files in This Item:
File SizeFormat 
Bianca_Pereira_2016.pdf2.12 MBAdobe PDFView/Open Preview


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.