Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: https://tede.unioeste.br/handle/tede/4765
Tipo do documento: Dissertação
Title: Avaliação da incidência de Aflatoxina, Fumonisina e Zearalenona em milho produzido entre 2016 e 2018 nos estados de Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul
Other Titles: Evaluation of the incidence of Aflatoxin, Fumonisine and Zearalenone com produced between 2016 and 2018 in the states of Paraná, Mato Grosso and Mato Grosso do Sul
Autor: Mistura, Marcelo 
Primeiro orientador: Lindino, Cleber Antônio
Primeiro membro da banca: Lindino, Cleber Antônio
Segundo membro da banca: Martin, Clayton Antunes
Terceiro membro da banca: Bariccatti, Reinaldo Aparecido
Resumo: O Brasil é atualmente o 3º maior produtor mundial de milho, sendo que a maior parte desta produção, 70%, é destinada para a produção de ração para alimentação animal. Estudos apontam, no entanto, que 25% de todos os cereais produzidos no mundo estão contaminados com algum tipo de micotoxina, sendo o milho o cereal mais suscetível aos efeitos causados pelo ataque dos fungos que, sob condições de estresse como variações de temperatura, umidade, exposição à luminosidade e disponibilidade de nutrientes, podem desenvolver as micotoxinas. As micotoxinas são compreendidas como substâncias biológicas naturais produzidas a partir da metabolização secundária de alguns tipos de fungos filamentosos. Cada micotoxina possui um determinado efeito patogênico no indivíduo contaminado, mas em geral promovem menor absorção de nutrientes causando danos a rins, fígado e pulmões, e ainda podem interferir no sistema reprodutivo. As principais micotoxinas encontradas no milho são Aflatoxina (AFL), Fumonisina (FUM) e Zearalenona (ZEA). O objetivo deste trabalho foi de avaliar a contaminação e incidência de micotoxinas presentes no milho dos principais estados produtores no Brasil ao longo das safras 2015/16, 2016/17 e 2017/18 fazendo o mapeamento da contaminação de micotoxinas nestes estados relacionando o impacto que as condições de estresse de temperatura e precipitação exercem nos teores encontrados das micotoxinas. Foram encontrados resultados abaixo do limite de quantificação (ALQ) ao longo do estudo para 83,33 % de AFL, 15,92 % de FUM e 53,03 % de ZEA, enquanto que 3,50 % de AFL, 48,84 % de FUM e 10,26 % de ZEA das amostras tiveram resultados acima do valor máximo (AVM) permitido pela legislação. Por apresentar características de desenvolvimento a menores temperaturas e sofrer menos com os efeitos externos, as concentrações e incidência de ZEA reduziram ao longo do período amostrado. O estado que teve destaque em relação aos dados foi o Paraná (PR), o qual teve as maiores incidências e maior concentração desta micotoxina. De modo geral, 55,93 % das amostras analisadas no PR tiveram resultados positivos para a presença de ZEA, com índice de 15,85 % das amostras, com resultados maiores de 400 µg kg-1. Os dados da redução de ZEA estão extremamente relacionados à redução dos índices e melhor distribuição de precipitação acumulada. As concentrações de AFLs e FUMs apresentam características distintas de ZEA, pois estas micotoxinas são produzidas por fungos que tem a característica de desenvolvimento no pós-colheita. Os dados demonstram que não tiveram a redução gradual, mas as concentrações de modo geral tiveram uma pequena redução entre o primeiro e o último período de avaliação, mas com um aumento no segundo período. A concentração média de FUMs reduziu em 60,35 %, sendo que 83,74 % das amostras apresentaram contaminação por FUMs, e 48,84 % do total tiveram resultados acima de 5000 µg kg-1. Isso demonstra que no período ocorreu redução da incidência com redução na concentração. A contaminação por AFLs teve redução de 30,63 % nos resultados médios, com redução de 51,12 % de incidência, sendo 3,50 % de amostras com concentração acima de 50 µg kg-1. O estado de Mato Grosso (MT) teve a maior incidência e concentração média de AFLs, com destaque ao segundo período de avaliação, especialmente para os meses entre setembro e dezembro de 2016, onde a maior concentração obtida foi de 824 µg.kg-1 de AFLs. Os fatores externos de precipitação e temperatura podem ter contribuído para estes resultados, mas como as características de desenvolvimento das AFLs é pós-colheita, o fator estocagem parece exercer o maior papel nas altas concentrações da micotoxina. Como já esperado, fatores externos como temperatura, precipitação e estocagem parecem ser os maiores interferentes na produção de micotoxinas em milho.
Abstract: Brazil is currently the 3rd largest producer of corn, most of which are 70%, it is intended to produce feed for animal feed. Studies point, however, that 25% of all cereals produced in the world are contaminated with some type of mycotoxin, with corn being the cereal most susceptible to the effects caused by the attack of fungi that, under stress conditions such as variations in temperature, humidity, exposure to luminosity and availability of nutrients can develop mycotoxins. Mycotoxins are understood as natural biological substances produced from the secondary metabolization of some types of filamentous fungi. Each mycotoxin has a certain pathogenic effect on the infected individual, but in general promote lower absorption of nutrients causing damage to kidneys, liver and lungs, and can still interfere in the reproductive system. The main mycotoxins found in corn are Aflatoxin (AFL), Fumonisin (FUM) and Zearalenona (ZEA). The objective of this work was to evaluate the contamination and incidence of mycotoxins present in corn in the main producing states in Brazil throughout the 2015/16, 2016/17 and 2017/18 seasons by mapping mycotoxin contamination in these states relating the impact that temperature stress conditions and precipitation have on the data found of mycotoxins. Were found results below the quantification limit (ALQ) for 83.33% of AFL, 15.92% of FUM and 53.03% of ZEA, while 3.50% of AFL, 48.84% of FUM and 10.26% of ZEA samples had results above the maximum value (AVM) allowed by legislation. Because it presented developmental characteristics at lower temperatures and suffer less from external effects, the concentrations and incidence of ZEA have reduced over the sampled period. The state that was highlighted in relation to the data was Paraná, where it had the highest incidences and higher concentration of this mycotoxin. In general, 55.93% of the samples analyzed in Paraná had positive results for the presence of ZEA, with an index of 15.85% of the samples with results greater than 400 µg kg-1. The data of the reduction of ZEA are extremely related to the reduction of indexes and better distribution of accumulated precipitation. The concentrations of AFLs and FUMs have distinct characteristics of ZEA. Since these are produced by fungi that have the development characteristic in the post-harvest, the data show that they did not have the gradual reduction, but the concentrations generally had a small reduction between the first and last evaluation period, but with an increase in the second period. The mean concentration of FUMs reduced 60.35%, and 83.74% of the samples presented FUM contamination, and 48.84% of the total had results above 5000 µg kg-1, this demonstrates that in the period there was a reduction in incidence with reduction in concentration. Contamination by AFLs decreased by 30.63% in the mean results, with a reduction of 51.12% incidence, 3.50% of samples with a concentration above 50 µg kg-1. The state of Mato Grosso (MT) had the highest incidence and average concentration of AFLs, especially for the months between September and December 2016, where the highest concentration obtained was 824 µg kg-1 of AFLs. External precipitation and temperature factors may have contributed to these results, but as the development characteristics of AFLs is postharvest, the storage factor seems to play the largest role in the high concentrations of mycotoxin. As expected, external factors such as temperature, precipitation and storage seem to be the biggest interference in the production of mycotoxins in corn.
Keywords: Monitoramento
Contaminação
Produção
Micotoxinas
Clima
Monitoring
Contamination
Production
Mycotoxins
Climate
CNPq areas: CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::QUIMICA
Idioma: por
País: Brasil
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Centro de Engenharias e Ciências Exatas
Program: Programa de Pós-Graduação em Química
Campun: Toledo
Citation: MISTURA, Marcelo. Avaliação da incidência de Aflatoxina, Fumonisina e Zearalenona em milho produzido entre 2016 e 2018 nos estados de Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. 2019. 60 f. Dissertação (Mestrado em Química) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Toledo, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.unioeste.br/handle/tede/4765
Issue Date: 2-Dec-2019
Appears in Collections:Mestrado em Química (TOL)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Marcelo_Mistura_2019.pdf2.23 MBAdobe PDFView/Open Preview


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.