Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unioeste.br/handle/tede/4096
Tipo do documento: Dissertação
Title: Trabalho livre e escravidão em Atenas: o contraponto de Ellen Meiksins Wood ao viés antidemocrático dos clássicos Sócrates, Platão e Aristóteles
Other Titles: Free work and slavery in Athens: Ellen Meiksins Wood's counterpoint to the undemocratic bias of the classics Socrates, Plato and Aristotle
Autor: Lacowicz, Ellis Fernanda 
Primeiro orientador: Silva, Vânia Sandeléia Vaz da
Primeiro membro da banca: Silva, Vânia Sandeléia Vaz da
Segundo membro da banca: Pinto, Karla Lisandra Gobo
Terceiro membro da banca: Neres, Geraldo Magella
Resumo: O trabalho busca analisar a perspectiva da pesquisadora e historiadora Ellen Meiksins Wood (1942-2016) sobre a democracia ateniense considerando-a um contraponto à visão antidemocrática dos filósofos clássicos Sócrates, Platão e Aristóteles. A autora apresenta sua perspectiva nas obras Democracia contra capitalismo (2011b) e Peasant-citizen and Slave: The Foundations of Athenian Democracy (1989), nas quais dá ênfase à figura do trabalhador-livre, em especial o cidadão-camponês, que possuía, segundo Wood, um status jurídico e político sem precedentes, ele estava livre de qualquer tipo de exploração por meio da coação por parte dos donos de terras e também por parte do Estado. A visão tradicional foi influenciada pelo o que Ellen Wood chama de mito da ralé ociosa, segundo o qual os cidadãos eram uma ralé ociosa que conseguia participar das decisões políticas porque os escravos trabalhariam no lugar deles e porque eram sustentados por pagamentos públicos; quem inspirou o mito foram os filósofos gregos Sócrates, Platão e Aristóteles. No primeiro capítulo, tratamos da visão tradicional sobre democracia ateniense. No segundo capítulo, abordamos a perspectiva de Ellen Meiksins Wood sobre a democracia ateniense, mais especificamente sobre o papel do cidadão-camponês e dos escravos em Atenas. Por fim, no terceiro capítulo, discorremos sobre o método da autora para estudar os teóricos políticos clássicos e sua aplicação nas obras dos filósofos gregos, tendo em vista que o método que a autora utilizou teria possibilitado essa visão diferente sobre o tema. A pesquisadora afirma que esse status de cidadão do trabalhador livre e a vontade antidemocrática que essa condição inspirou estão presentes nas tradições políticas e culturais da antiguidade clássica que chegaram até nós, pois quando as classes trabalhadoras exigiram participação nas democracias nascentes – na Inglaterra e nos Estados Unidos, principalmente – buscou-se argumentar que tal participação teria que ser limitada para não colocar em risco a existência da democracia. Tal argumento estava presente nos textos dos filósofos Platão, Sócrates e Aristóteles e poderiam ser mobilizadas por meio da “autoridade” que tais clássicos da política desfrutavam a partir de uma leitura “textualista”. Contudo, Ellen Wood foi capaz de mostrar que se tratava de um “viés” e não da descrição da realidade política da democracia ateniense e, por meio da contextualização social dos filósofos da política, mostrou que concernia a uma posição partidária – antidemocrática – no conflito social e político da época em que tais “clássicos” elaboraram suas teorias políticas.
Abstract: This work aims to analyze the perspective of the researcher and historian Ellen Meiksins Wood (1942-2016) on Athenian democracy considering it a counterpoint to the antidemocratic view of the classical philosophers Socrates, Plato and Aristotle. The author presents his perspective in the books Democracia contra capitalismo (2011b) and Peasant-citizen and Slave: The Foundations of Athenian Democracy (1989). This books emphasize the figure of the free worker, especially the peasant-citizen, who had, according to Wood, an unprecedented juridical and political status, he was free from any kind of exploration by means of coercion, by either the landowners or the State. The traditional view was influenced by what Ellen Wood calls the myth of the idle mob, which claims that the citizens were an idle mob that could participate in political decisions because slaves would work in their place and because they were supported by public payments; the ones who inspired the myth were the Greek philosophers Socrates, Plato and Aristotle. In the first chapter, we discuss the traditional vision on the Athenian democracy. In the second chapter, the focus is on the participation of the peasant-citizen in the Athenian democracy, by the perspective of Ellen Meiksins Wood. Finally, in the third chapter, we discuss the author's method to study classical political theorists and their application in the works of Greek philosophers, since the method that the author used would have enabled this different view on the subject. The researcher says that the citizen status of the free worker and the anti-democratic will inspired by a vision on that condition are present in the political and cultural traditions of the Classical antiquity, which reached our time. Because, when the work class demanded participation in the new emerging democracies, — in England and in the United States, mainly — it was tried to reason that this participation would have to be restraint, to not put in risk the own existence of the democracy. This argument could be found in the texts of philosophers such as Plato, Socrates and Aristotle; this position was usually mobilized by the “authority” that those political classics enjoyed through a “textualist” reading. Nonetheless. Ellen Wood was able to show that perspective was a “bias” and it was not a matter of direct description of some pretense political reality of the Athenian democracy. Through the social contextualization of the political philosophers, it was possible to understand their positions as partisan – antidemocratic -, in the social and political conflict of the time those “classics” developed their political theories.
Keywords: Cidadão-camponês
Ellen Meiksins Wood
Democracia ateniense
Peasant-citizen
Athenian democracy.
CNPq areas: CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Centro de Ciências Humanas e Sociais
Program: Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais
Campun: Toledo
Citation: LACOWICZ, Ellis Fernanda. Trabalho livre e escravidão em Atenas: o contraponto de Ellen Meiksins Wood ao viés antidemocrático dos clássicos Sócrates, Platão e Aristóteles. 2018. 105 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Toledo, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.unioeste.br/handle/tede/4096
Issue Date: 24-Sep-2018
Appears in Collections:Mestrado em Ciências Sociais (TOL)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ellis_Lacowicz_2018.pdf789.97 kBAdobe PDFView/Open Preview


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.