Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unioeste.br/handle/tede/3213
Tipo do documento: Dissertação
Title: Manejo do crestamento bacteriano comum do feijoeiro por Rhodotorula Glutinis e Sporidiobolus johnsonii
Autor: Carvalho, Jeferson Carlos 
Primeiro orientador: Kuhn, Odair José
Primeiro membro da banca: Kuhn, Odair José
Segundo membro da banca: Stangarlin, José Renato
Terceiro membro da banca: Viecelli, Clair Aparecida
Resumo: O crestamento bacteriano comum do feijoeiro reduz a produtividade da cultura e é de difícil controle, podendo ser o controle biológico utilizando leveduras uma alternativa. Objetivou-se avaliar a capacidade de Rhodotorula Glutinis e Sporidiobolus johnsonii em reduzir a severidade de crestamento bacteriano comum do feijoeiro, atuar como promotores de crescimento de plantas, bem como a dose e o número de aplicações mais adequadas para o tratamento fitossanitário. A levedura R. Glutinis (AH 14-3) foi isolada de flor de roseira e S. johnsonii (AH 16-1) de folha de beijinho. Foi realizado quatro experimentos utilizando a cultivar IAPAR Tuiuiú. Dois em casa de vegetação, um para determinar a melhor dose (0; 2,5; 5; 7,5; e 10 g L-1 de R. glutinis e S. johnsonii, mais acibenzolar-S-metil (ASM) em dose comercial) e outro o nível de aplicações durante o ciclo da cultura (zero, uma, duas e três aplicações de R. glutinis e S. johnsonii (5 g L-1) e ASM (25 g L-1)). Em ambos experimentos foram avaliados área abaixo da curva do progresso da doença (AACPD), massa seca de parte aérea (MSPA), massa seca de raiz (MSR) e volume de raiz (VR). Outros dois experimentos foram conduzidos em condições de campo semeados em março e outubro, em esquema fatorial 4X3 (zero, uma, duas e três aplicações e três tratamentos R. glutinis e S. johnsonii, e ASM). Nessas condições foram avaliados AACPD, número de vagens por plantas (NVP), número de grãos por vagens (NGV), massa de mil grãos (MMG) e produtividade. Para doses, o isolado S. johnsonii reduziu 59,61% a AACPD de forma dependente da dose atingindo na dose 10 g L-1 valor de 14,61, semelhante ao ASM (14,31). Por outro lado, o isolado R. glutinis não interferiu na AACPD. Com a dose de 5 g L-1 as leveduras estimularam o crescimento de plantas. Para o número de aplicações em casa de vegetação, R. glutinis, com duas aplicações reduziu o progresso da doença em 62,73%, enquanto o isolado S. johnsonii apresentou efeito linear, com redução de 49,88% com três aplicações, o número de aplicações não interferiu nas variáveis de crescimento. Para os resultados do cultivo de outono-inverno, na AACPD os isolados R. glutinis e S. johnsonii não apresentaram diferença entre si, sendo de 17,28 e 19,14 respectivamente independentemente do número de aplicação, mas o ASM apresentou a maior severidade com duas aplicações. Para a produtividade o isolado R. glutinis apresentou a maior média com duas aplicações sendo de 1006,44 kg ha-1. Para o cultivo das águas, os isolados R. glutinis e S. johnsonii reduziram a AACPD em 66,84% e 58,42%, respectivamente com três aplicações. Para produtividade R. glutinis e S. johnsonii não apresentaram diferença entre o número de aplicações, com médias de 3708,96 e 3896,71 kg ha-1, respectivamente. ASM promoveu aumento linear da produtividade, 4418,56 kg ha-1 com três aplicações. Os resultados indicam que as leveduras R. glutinis e S. johnsonii reduzem a severidade do crestamento bacteriano comum do feijoeiro, podem atuar como indutores de crescimento de plantas, a melhor dose é 5 g L-1 e o número de aplicações mais adequado são duas.
Abstract: Common bacterial blight of beans reduces crop yields and is difficult to control. Biological control using yeasts might be an alternative. It was aimed to evaluate the capacity of Rhodotorula glutinis and Sporidiobolus johnsonii to reduce the severity of common bacterial blight of beans and to act as plant growth stimulator, as well as to determine the appropriate dose and number of applications for phytosanitary treatment. The yeast R. glutinis (AH 14-3) was isolated from roses and S. johnsonii (AH 16-1) was obtained from touch-me-not leaves (Impatiens walleriana). Four experiments were carried out using the cultivar IAPAR Tuiuiu. Two of them were held in a greenhouse, one to determine the best dose (0; 2,5; 5; 7,5; and 10 g L-1 of R. glutinis and S. johnsonii, along with a commercial dose of acibenzolar-S-methyl (ASM)) and another to determine the level of applications during the cultivation cycle (zero, one, two, and three applications of R. glutinis and S. johnsonii (5 g L-1) and ASM (25 g L-1)). In both experiments, the area under the disease progress curve (AUDPC), the dry mass of the aerial part (DMAP), the dry mass of root (DMR) and root volume (RV) were evaluated. The other two experiments were carried out under seeded-field conditions in March and in October, with a 4X3 factorial arrangement (zero, one, two and three applications and three R. glutinis, S. johnsonii and ASM treatments). Under these conditions, were evaluated AUDPC, number of pods per plant (NPP), number of seeds per pod (NSP), one thousand seed mass (TSM) and yield. For doses, the isolate of S. johnsonii reduced the AUDPC by 59,61% on a dose-dependent basis, reaching the value of 14,61 at a dose of 10 g L-1, similar to ASM (14,31). On the other hand, the isolate of R. glutinis did not affect the AUDPC. The yeasts stimulated plant growth at a dose of 5 g L -1. Regarding the number os applications in a greenhouse, R. glutinis reduced the progress of the disease by 62,73% after two applications, whereas the isolate S. johnsonii presented a linear effect, with a reduction of 49,88% after three applications, and the number of applications did not interfere in growth variables. Concerning the results of autumnwinter cultivation, in the AUDPC the isolates R. Glutinis and S. johnsonii did not present any difference between them, 17,28 and 19,14, respectively, independently of the number of applications, however ASM showed the greatest severity with two applications. For productivity, the isolate R. glutinis showed the highest average, 1006,44 kg ha-1, with two applications. For cultivation in water, the isolates R. glutinis and S. johnsonii reduced the AUDPC by 66,84% and 58,42%, respectively, with three applications. For productivity, R. glutinis and S. johnsonii did not present any difference between the number of applications, with averages of 3708,96 and 3896,71, respectively. ASM caused a linear increase in production, 4418,56 kg ha-1 after three applications. Results reveal that yeasts R. glutinis and S. johnsonii reduce the severity of common bacterial blight of beans and have the ability to stimulate plant growth. The best dose is 5 g L-1 and it is more effective with two applications. Keywords: Biological control. Fabaceae. Phaseolus vulgaris L. Xanthomonas axonopodis pv. Phaseoli. Production.
Keywords: Controle biológico
Fabaceae
Phaseolus vulgaris L.
Xantomonas axonopodis pv. phaseoli
Produção
CNPq areas: CIÊNCIAS AGRÁRIAS:AGRONOMIA:FITOSSANIDADE
Idioma: por
País: Brasil
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Centro de Ciências Agrárias
Program: Programa de Pós-Graduação em Agronomia
Campun: Marechal Cândido Rondon
Citation: CARVALHO, Jeferson Carlos. Manejo do crestamento bacteriano comum do feijoeiro por Rhodotorula Glutinis e Sporidiobolus johnsonii. 2017. 39 f. Dissertação ( Mestrado em Agronomia) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Marechal Cândido Rondon, 2017.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
URI: http://tede.unioeste.br/handle/tede/3213
Issue Date: 24-Feb-2017
Appears in Collections:Mestrado em Agronomia (MCR)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Jeferson_Carvalho_20171.08 MBAdobe PDFView/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons