Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unioeste.br/handle/tede/1321
Tipo do documento: Dissertação
Title: Avaliação de acibenzolar-s-metil, extrato cítrico e fermentado bacteriano no controle da murcha-bacteriana (Ralstonia solanacearum) do tomateiro (Lycopersicon esculentum Mill)
Other Titles: Evaluation of the acibenzolar-S-methyl, citric extract and bacterial fermented on the control of bacterial wilt (Ralstonia solanacearum) in tomato plants (Lycopersicon esculentum Mill)
Autor: Costa, Viviane Carla 
Primeiro orientador: Stangarlin, José Renato
Primeiro membro da banca: Piero, Robson Marcelo Di
Segundo membro da banca: Kuhn, Odair José
Resumo: A murcha bacteriana causada por Ralstonia solanacearum é uma das principais doenças que afetam a cultura de tomate (Lycopersicon esculentum). O controle da bactéria é difícil, pois a mesma sobrevive no solo, associada a restos culturais e na rizosfera de várias plantas. O uso de variedades resistentes é difícil pelo fato desta depender de condições ambientais e da concentração de inóculo da bactéria. Para tanto, torna-se imprescindível a realização de pesquisas que visem a obtenção de métodos alternativos para o controle da doença, já que não existe atualmente nenhum produto registrado para a mesma. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi testar a eficácia dos produtos abiótico acibenzolar-S-metil (ASM) e bióticos biomassa cítrica e fermentado bacteriano, em induzir resistência no tomateiro contra R. solanacearum biovares I e III. No ensaio in vitro para o ASM utilizaram-se as concentrações 10; 25; 100 e 200 mg/L; para a biomassa cítrica e fermentado bacteriano foram utilizadas as concentrações 0,025; 0,1; 0,2 e 0,4 mL/L. Oxitetraciclina (22,5 mg/L) + estreptomicina (225 mg/L) foi utilizado como controle positivo e apenas meio caldo nutriente como controle negativo. No ensaio in vivo utilizou-se para ASM a dose 0,05 g/L, para biomassa cítrica as doses 2,5 e 5 mL/L e fermentado bacteriano as doses 10 e 20 mL/L. Após quinze dias do transplante das mudas para os vasos as mesmas foram pulverizadas até plena cobertura foliar com os produtos totalizando 10 aplicações. Três dias após a primeira aplicação as plantas foram inoculadas com o patógeno através de ferimentos nas raízes. Os três produtos apresentaram atividade antibacteriana in vitro contra R. solanacearum, sendo esta ação diferenciada em função da dose e dos biovares utilizados. Para ASM a inibição foi de até 99%, enquanto que para biomassa cítrica e fermentado bacteriano foi em média de 84% e 99%, respectivamente. O antibiótico inibiu entre 7,5 e 15% a multiplicação da bactéria. Nos ensaios in vivo, a biomassa cítrica na dose 5 mL/L e o fermentado bacteriano na dose 10 mL/L foram eficientes para o controle da murcha bacteriana causada pelo biovar I de R. solanacearum, enquanto que para o biovar III o controle foi obtido com ASM e fermentado bacteriano (10 mL/L). Nessas plantas com menor incidência da doença também se observou o menor índice de reisolamento da bactéria. Estes resultados indicam o potencial de ASM, biomassa cítrica e, principalmente do fermentado bacteriano, para controle de R. solanacearum em tomateiro
Abstract: The bacterial wilt caused by Ralstonia solanacearum is one of the main diseases that can reduce the productivity of tomato culture (Lycopersicon esculentum). The control of this pathogen is difficult, since the bacteria overwinter in plant debris, in diseased plants and in the soil. The use of resistance varieties is difficult because it depends on environmental conditions and amount of bacteria in the soil. Thus, it is necessary the development of alternative methods for the control of this disease, since there is no registered pesticide for this purpose. The objective of this work was to verify the effectiveness of the acibenzolar-S-methyl (ASM) abiotic product, and citric biomass and bacterial fermented extract biotic products in inducing resistance in the tomato against R. solanacearum biovars I and III. To in vitro assay the ASM was used at concentrations of 10, 25, 100 and 200 mg/L, while citric biomass and bacterial fermented extract were used at concentrations of 0.025, 0.1, 0.2 and 0.4 mL/L. Oxytetracycline (22.5 mg/L) + streptomycin (225 mg/L) was used as positive control and only culture medium as negative control. To in vivo assay the doses were 0.05 g/L for ASM, 2.5 and 5 mL/L for citric biomass and 10 and 20 mL/L bacterial fermented extract. After 15 days of transplanting the products were sprayed on the leaves, with a total of 10 applications. Three days after the first application the plants were inoculated with the pathogen through wounds in the roots. The results showed that the three products presented antibacterial activity against R. solanacearum, with differentiated action depend on the dose and biovar inoculated. For ASM the inhibition was of up to 99%, whereas for citric biomass and bacterial fermented extract it was 84% and 99%, respectively. The antibiotic inhibited between 7.5 and 15% the bacterium growth. To in vivo assay, the citric biomass 5 mL/L and bacterial fermented extract 10 mL/L reduced the bacterial wilt caused by biovar I of R. solanacearum, whereas to biovar III the control was obtained with bacterial fermented extract (10 mL/L) and ASM. In these plants with low incidence of wilt symptoms were observed the lower indexes of bacterium isolation in culture medium. These results indicate the potential of ASM, citric biomass and bacterial fermented extract for control of R. solanacearum in tomato plants
Keywords: Indução de resistência
Controle alternativo
Atividade antimicrobiana
Resistance induction
Alternative control
Antimicrobial activity
CNPq areas: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::AGRONOMIA
Idioma: por
País: BR
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Parana
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Produção Vegetal
Program: Programa de Pós-Graduação em Agronomia - Nível Mestrado
Citation: COSTA, Viviane Carla. Evaluation of the acibenzolar-S-methyl, citric extract and bacterial fermented on the control of bacterial wilt (Ralstonia solanacearum) in tomato plants (Lycopersicon esculentum Mill). 2007. 44 f. Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) - Universidade Estadual do Oeste do Parana, Marechal Cândido Rondon, 2007.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.unioeste.br:8080/tede/handle/tede/1321
Issue Date: 27-Aug-2007
Appears in Collections:Mestrado em Agronomia (MCR)

Files in This Item:
File SizeFormat 
Viviane_Carla_Costa.pdf462.68 kBAdobe PDFView/Open Preview


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.