Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unioeste.br/handle/tede/831
Tipo do documento: Dissertação
Title: Estudo da estabilidade do biodiesel de crambe e soja
Other Titles: Stability study of crambe and soybean biodiesel
Autor: Wazilewski, Willian Tenfen 
Primeiro orientador: Bariccatti, Reinaldo Aparecido
Resumo: A qualidade do biodiesel é de suma importância para o sucesso da comercialização deste combustível, sendo assim, o produto deve atender a parâmetros estabelecidos mundialmente, para que seja garantida sua total funcionalidade ambiental. Dentro destes parâmetros tem-se a viscosidade cinemática a qual pode ser afetada em virtude da degradação do biocombustível. Tal degradação ocorre devido às intempéries atmosféricas a qual estão expostos todas as formas de matéria orgânica, sendo esta degradação acentuada quando da exposição a temperaturas elevadas ou em contato com agentes catalisadores. Em virtude disto denominou-se a estabilidade à oxidação como sendo um fator que relaciona o grau de resistência do produto aos diferentes agentes oxidantes. O presente trabalho teve como objetivo o estudo da estabilidade oxidativa do biodiesel produzido a partir do óleo vegetal de crambe e soja. Utilizou-se para este estudo as técnicas de espectroscopia no infravermelho, índice de refração a 40ºC e viscosidade cinemática a 40ºC para acompanhar o nível de oxidação dos biodieseis. Os estudos viscosimétricos revelaram que o biodiesel de crambe é mais estável que o de soja quando da exposição destes ao stress térmico em estufa a 130ºC, sendo que a adição de 5 e 10% de biodiesel de crambe reduz a alteração viscosimétrica em cerca de 43,9% em relação ao biodiesel de soja puro. Observando o índice de refração constatou-se que a alteração deste, no caso do biodiesel de soja, foi de 0,0042 e para suas blendas foram 0,0028, 0,0025 e 0,0022 para 5, 10 e 20% de biodiesel de crambe, respectivamente. Em relação ao biodiesel de soja seria uma estabilização de 33,3, 41,4 e 47,6%, para as blendas com 5, 10 e 20 % de biodiesel de crambe, respectivamente. Pela espectroscopia no infravermelho percebe-se que houve uma formação de grupamento carbonila mais intensa no biodiesel de soja quando comparado com o biodiesel de crambe submetido ao stress térmico pelo mesmo período de tempo.
Abstract: Biodiesel quality is critical to the successful commercialization of this fuel, so the product must meet some worldwide established parameters to guarantee their full environment roll functionality. Within these parameters there is the kinematic viscosity which may be affected due the degradation of the biofuel, such degradation occurs due atmospheric disturbances which all forms of organic matter are exposed to, and this degradation is accentuated when exposed to high temperatures or in contact with a catalyst matter. As a result of this, a factor that relates the degrees of resistance of a product to different oxidizing agents were created called as oxidation stability. This work aimed to study the oxidative stability of biodiesel produced from vegetable oil of soy and crambe. For this study the techniques of infrared spectroscopy, refractive index at 40 ° C and kinematic viscosity at 40 ° C were used to monitor the level of oxidation of the biodiesel. Viscometric studies revealed that biodiesel of crambe is more stable than soybean when they were exposed to thermal stress in an incubator at 130 ° C, with the addition of 5 and 10% of crambe biodiesel it reduces the viscosimetric change about 43,9% compared to pure soybean biodiesel. Looking at the index of refraction were found that the variation, in the case of pure soybean biodiesel, was about 0.0042 and its blends were 0.0028, 0.0025 and 0.0022 for 5, 10 and 20% of crambe biodiesel, respectively, compared to pure soybean biodiesel would be a stabilization of 33.3, 41.4 and 47.6% for the blends with 5, 10 and 20% of crambe biodiesel, respectively. By infrared spectroscopy it is clear that there was a formation of carbonyl grouping more intense in the soybean biodiesel compared to crambe biodiesel subjected to thermal stress for the same period.
Keywords: Biodiesel
crambe
viscosidade cinemática
Biodiesel
crambe
kinematic viscosity
CNPq areas: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA
Idioma: por
País: BR
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Parana
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Agroenergia
Program: Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Energia na Agricultura
Citation: WAZILEWSKI, Willian Tenfen. Stability study of crambe and soybean biodiesel. 2012. 50 f. Dissertação (Mestrado em Agroenergia) - Universidade Estadual do Oeste do Parana, Paraná, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.unioeste.br:8080/tede/handle/tede/831
Issue Date: 27-Feb-2012
Appears in Collections:Mestrado em Engenharia de Energia na Agricultura (CVL)

Files in This Item:
File SizeFormat 
Willian Wazilewski.pdf3.5 MBAdobe PDFView/Open Preview


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.