Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unioeste.br/handle/tede/4185
Tipo do documento: Dissertação
Title: Doença de Parkinson e sua relação com a exposição a agrotóxicos em usuários de um serviço público de saúde na região oeste do Paraná
Other Titles: Parkinson's disease and its relationship with exposure to pesticides in users of a public health service in the western region of Paraná
Autor: Vasconcellos, Paula Renata Olegini 
Primeiro orientador: Rizzotto, Maria Lúcia Frizon
Primeiro membro da banca: Rizzotto, Maria Lúcia Frizon
Segundo membro da banca: Machineski, Gicelle Galvan
Terceiro membro da banca: Alonzo, Herling Gregorio Aguilar
Resumo: Os agrotóxicos são misturas de substâncias químicas utilizadas para matar, exterminar e combater organismos considerados nocivos e, portanto, caracterizam um risco em potencial para os seres vivos dada a sua toxicidade. Entre os vários efeitos na saúde humana destacam-se a associação com a doença de Parkinson. Assim o objetivo geral do estudo foi analisar a relação entre exposição a agrotóxicos e o desenvolvimento da doença de Parkinson em usuários do Sistema Único de Saúde, acompanhados pelo serviço do ambulatório de neurologia do Hospital Universitário do Oeste do Paraná na cidade de Cascavel, Paraná, Brasil. Trata-se de uma pesquisa de natureza exploratória, descritiva e explicativa com delineamento transversal, que utilizou dados quantitativos e qualitativos. A primeira parte da pesquisa foi realizada junto ao ambulatório de neurologia do hospital, através do levantamento de dados nos prontuários pelo sistema TASY® e no Serviço de Arquivo Médico e Estatísticas para identificar os indivíduos com diagnóstico de doença de Parkinson que utilizaram o serviço nos últimos 05 anos. A segunda parte da pesquisa se desenvolveu por meio de entrevista por telefone a partir de um formulário com questões abertas e fechadas em que se buscou levantar dados sociodemográficos dos sujeitos, histórico da doença de Parkinson, história laboral e exposição a agrotóxicos. A busca nos sistemas do serviço resultou em 507 pacientes atendidos no ambulatório de neurologia, sendo 48 (9,47%) com diagnóstico de doença de Parkinson, destes 32 (66,67%) compuseram a amostra. A faixa etária foi de 60 anos ou mais em 87,48% dos casos, destacando a homogeneidade de gêneros. De acordo com a escolaridade, 9,39% nunca tinham frequentado a escola e 43,74% estudaram menos de 4 anos; 62,50% reside atualmente no município de Cascavel; 87,48% afirmaram não ter nenhum caso na família com a doença. Em relação à atividade laboral exercida pelos sujeitos durante a vida, 78,11% atuaram na agricultura e 57,14% moraram de 11 a 30 anos na área rural; 74,98% deles tiveram contato com agrotóxico, sendo que 50%, o contato foi direto, destes 25%, utilizaram, em geral, bota e máscara. Em relação ao tempo decorrido entre a exposição ao agrotóxico e o início dos sintomas da doença de Parkinson, 75% relataram um tempo maior do que 20 anos. Foram citados 16 tipos diferentes de agrotóxicos chamando a atenção para o hexaclorobenzeno em 31,25% dos casos, glifosato 31,25% e dicloreto de paraquate 12,50%. Dos agrotóxicos mencionados 25% estão proibidos no País: hexaclorobenzeno, dicloro-difenil-tricloroetano, paration metílico e metamidofós. Os resultados mostraram que a exposição a agrotóxicos pode colaborar para o adoecimento dos indivíduos e considerando os riscos, não se pode descartar a relação com a doença de Parkinson.
Abstract: Pesticides are a multiple chemical substances complex used to kill, exterminate and combat pests. They represent a potential risk to all living organisms given their toxicity. Among the several effects on human health stands out the relationship with Parkinson's disease. Thus, the general objective of the study was to analyze the association between exposure to pesticide and the development of Parkinson’s disease in users of the Brazil´s Unified Public Health System accompanied by the neurology clinic service of the Hospital Universitário do Oeste do Paraná in Cascavel, Paraná. It is an exploratory, descriptive and explanatory research with a cross-sectional design, using quantitative and qualitative data. The first part of this research was made at neurology clinic service of hospital, through data collection in medical records using TASY® system and Medical Files and Statistics Service to identify individuals diagnosed with Parkinson’s disease that used the service in the last 5 years. The second part of this research was developed trough a telephone interview questionnaire made of open and closed questions to characterize the subjects of the study, history of Parkinson's disease, employment history and exposure to pesticides. The search in the service systems resulted in 507 patients attended at the neurology clinic Service, of which 48 (9.47%) had Parkinson's disease, and 32 (66.67%) comprised the sample. The age group was 60 years or more in 87.48% of the cases, highlighting the homogeneity of genders. According to school degree, 9.39% had never attended school and 43.74% had studied less than 4 years; 62.50% currently resides in Cascavel; 87.48% affirmed they did not have any Parkinson´s disease cases in family. In relation to the labor activity performed by the subjects during life, 78.11% worked in agriculture and 57.14% lived in rural areas from 11 to 30 years; 74.98% of them had contact with pesticides, 50% contact was direct; only 25% of the subjects who reported direct contact with the pesticide used personal protective equipment, in general, boot and mask. Regarding the time elapsed between exposure to pesticides and the onset of Parkinson's disease symptoms, 75% reported a time greater than 20 years. Sixteen different types of pesticides were mentioned, calling attention to hexachlorobenzene in 31.25% of the cases, glyphosate 31.25% and paraquat 12.50%. Of the pesticides mentioned 25% are banned in the Country: hexachlorobenzene, dichloro-diphenyl-trichloroethane, methyl parathion and methamidophos. The results show that the exposure to pesticides can contribute to the illness of individuals, and the relation with Parkinson's disease can not be ruled out.
Keywords: Agrotóxicos
Doença de Parkinson
Exposição ocupacional
Saúde Pública
Pesticide
Parkinson's disease
Occupational exposure
Public health
CNPq areas: CIENCIAS BIOLOGICAS::BIOLOGIA GERAL
Idioma: por
País: Brasil
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde
Program: Programa de Pós-Graduação em Biociências e Saúde
Campun: Cascavel
Citation: VASCONCELLOS, Paula Renata Olegini. Doença de Parkinson e sua relação com a exposição a agrotóxicos em usuários de um serviço público de saúde na região oeste do Paraná. 2018. 94 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Biociências e Saúde) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://tede.unioeste.br/handle/tede/4185
Issue Date: 13-Dec-2018
Appears in Collections:Mestrado em Biociências e Saúde (CVL)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Paula_Vasconcellos2018.pdf893.87 kBAdobe PDFView/Open Preview


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons