Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unioeste.br/handle/tede/3066
Tipo do documento: Dissertação
Title: Fundação, conservação e corrução: o ciclo da vida política em Maquiavel.
Other Titles: Foundation, conservation and corruption: the cycle of political life in Machiavelli
Autor: Tesser, Rodrigo 
Primeiro orientador: Ames, José Luiz
Primeiro membro da banca: Ames, José Luiz
Segundo membro da banca: Leonardi, Evandro Marcos
Terceiro membro da banca: Martins, José Antônio
Resumo: O homem é um ser egoísta e que tudo deseja, razão pela qual somente pode ver os outros homens como rivais à plena satisfação de seus desejos. A ideia de comunidade política, portanto, não mais aparece como um acontecimento necessário em razão da natural condição humana. Não obstante, o mundo histórico mostra que a vida coletiva eclodiu e, efetivamente, se perpetuou no tempo. Qual foi, então, a força que obrigou os homens, contra sua natureza, à vida coletiva? Como e por que a vida coletiva deve ser conservada? Por que, como tudo na vida, se corrompe e entra em declínio? Tais questões norteiam esta Dissertação e que, uma vez respondidas, apresentarão o que se pensa ser o ciclo vital da vida política para Maquiavel — a fundação, a conservação e a corrupção. A fundação da vida política, ação humana mais importante, é a que conjuga os termos fortuna e virtù, pois, para Maquiavel, o confronto entre fortuna e virtù é um cabo-de-guerra que condicionará o sucesso ou o insucesso da ação política. A fortuna é o acaso, significando a oportunidade criativa para o homem de virtù. E a virtù significa a capacidade de obter bons resultados políticos. Assim, a fundação da vida política terá, por base, a extraordinária virtù de um homem. Entretanto, não basta fundar a vida política. É necessário mantê-la viva. O homem virtuoso que se fez necessário para fundar a vida política e lhe dar as primeiras ordenações não é mais o homem ideal para realizar a tarefa de estruturar e conservar a comunidade. Como se evidencia, a conservação é tarefa para o conjunto dos cidadãos e deve ocorrer conforme as ordenações e as leis, as quais possuem a força constritiva da necessidade. Em vista disso, as leis e as ordenações são produto do conflito de humores entre os grandes e o povo, cada um buscando realizar seus desejos: os grandes querem dominar o povo e este pretende resistir ao desejo dos grandes, mantendo-se livre. Assim, as leis que são produzidas, em razão da tensão dos humores, devem voltar-se para a conservação da vida política e para liberdade dos cidadãos. Ainda que essa tarefa seja bem executada, para Maquiavel, todos os elementos do mundo têm o seu final, ou seja, o fim da vida coletiva é um fato inexorável. E o que causa o fim da vida política é a corrupção, processo degenerativo do corpo político, das leis e das instituições que deixam de observar o bem comum e passam a garantir apenas o interesse privado. A questão, então, passa a descobrir se existem e quais são as possibilidades de salvação da vida coletiva, evitando que os homens retornem à barbárie da vida pré-política. Dessa forma, as possibilidades apresentadas por Maquiavel, para evitar a extinção da vida coletiva, voltam-se, novamente, à extraordinária virtù de um homem que, com sua força – poder régio –, fará com que os cidadãos, as leis e as instituições voltem a ser virtuosos, de modo a primar pelo interesse público, já que vida política continuará existindo.
Abstract: The man is a selfish being who wishes everything, which is why he can only see other men as rivals to the full satisfaction of their desires. The idea of political community, therefore, no longer appears as a necessary event because of the human natural condition. Nevertheless, the historical world shows that collective life erupted and effectively perpetuated in time. What was, then, the force that forced men against their nature, to collective life? How and why the collective life should be preserved? Why, like everything in life, corrupts itself and declines? These are the questions that guide this Dissertation and that, once answered, will show what we think is the life cycle of political life for Machiavelli: the foundation, conservation and corruption. The foundation of political life, most important human action, is the one that combines the wealth and ingenuity terms, therefore, to Machiavelli, the confrontation between wealth and virtù is a tug-of-war that conditions the success or failure of political action. Fortune is random, meaning the creative opportunity for the virtù of a man. And virtù means the ability to obtain good political results. Thus, the foundation of political life will be based on the extraordinary virtù of a man. However, founding the political life is not enough. It is necessary to keep it alive. The virtuous man who is required to found political life and give you the first ordinations is not the ideal man to accomplish the task of structuring and preserving the community. The conservation is a task for all citizens and must occur based on the ordinances and laws, which have the constrictive force of necessity. Laws and ordinances are the product of mood conflicts between the great and the people, each seeking to fulfill their wishes: the great want to dominate the people and the people intents to resist to the desire of the great remaining them free. Therefore, the laws that are produced due to the tension of moods should turn to the conservation of political life and freedom of citizens. Even if this task is well executed, for Machiavelli all things in the world have their end, in other words, the end of the collective life is an inexorable fact. And what causes the end of political life is corruption, degenerative process of the body politic, laws and institutions that fail to observe the common good and start to ensure only the private interest. The question, then, starts to be the discovery whether there are and what are the possibilities of salvation of collective life, preventing men return to the barbarism of pre-political life. The possibilities presented by Machiavelli to prevent the extinction of collective life turn to, again, the extraordinary virtù of the man, who, with his strength - kingly power - will make citizens, laws and institutions to be virtuous again, taking precedence in the public interest, with what the political will continue to exist.
Keywords: Maquiavel
Fundação
Conservação
Corrupção
Machiavelli
Foundation
Conservation
Corruption
CNPq areas: CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIA
Idioma: por
País: Brasil
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Centro de Ciências Humanas e Sociais
Program: Programa de Pós-Graduação em Filosofia
Campun: Toledo
Citation: TESSER, Rodrigo. Fundação, conservação e corrução: o ciclo da vida política em Maquiavel.. 2016. 114 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Toledo, 2016.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.unioeste.br/handle/tede/3066
Issue Date: 9-Nov-2016
Appears in Collections:Mestrado em Filosofia (TOL)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Rodrigo_Tesser_2016.pdf1.3 MBAdobe PDFView/Open Preview


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.