Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unioeste.br/handle/tede/2121
Tipo do documento: Dissertação
Title: Liberdade, autenticidade e engajamento: pressupostos de ontologia moral em Sartre
Other Titles: Freedom authenticity, engagement: presuppositions of moral ontology in Sartre
Autor: Hilgert, Luiza Helena 
Primeiro orientador: Onate, Alberto Marcos
Primeiro membro da banca: Silva, Claudinei Aparecido de Freitas da
Segundo membro da banca: Sass, Simeao Donizeti
Resumo: Pensar a ética não é o mesmo que conjeturar normas, regras, valores prescritos, padrões estabelecidos e comportamentos estereotipados. Pelo menos não é assim que a descrição da condição humana elaborada pelo filósofo francês Jean-Paul Sartre, por meio da sua ontologia fenomenológica, permite sustentar. A ética de cunho existencialista não se limita aos âmbitos dogmático e regulador, ao contrário, Sartre opera uma desconstrução dos fundamentos metafísicos: remove modelos, comportamentos fixos, protótipos, arquétipos, deuses; concomitantemente, transcende todas as tentativas de asseverar o bem e o mal com base em um substrato absoluto, extremo, como a natureza ou a essência. A ontologia moral que descrevemos aqui, utilizando-nos principalmente das obras sartrianas do período assim chamado metafísico, tem a liberdade como seu fundamento e seu maior valor; é, pois, uma teoria da ambiguidade, tal qual a condição humana. Há que se entender a liberdade, nesse sentido, não como mero atributo humano, mas no âmbito ontológico, como estrutura fundamental do homem. Para fundamentar os valores, as ações e as escolhas de modo coerente com a condição humana, a moral tradicional baseada em leis racionais ou regras universais deve ser posta em xeque. A ética ontológica que pretendemos trazer à tona é como um grande edifício cujo alicerce é a noção de liberdade e sobre ela são construídas as concepções de homem e de mundo. A principal obra em que tal edificação pode ser apreciada e, sob a qual concentramos nossa pesquisa, foi publicada em 1943, intitula-se O ser e o nada, nela encontramos uma pormenorizada e aprofundada análise da condição humana, permitindo vislumbrar um tipo de ética condizente à realidade humana em situação. A noção de liberdade, na análise fenomenológica de Sartre, não é, contudo, o único aspecto da eticidade, acompanha-a a responsabilidade, a autenticidade, o engajamento e a relação com os outros.
Abstract: Think ethics is not the same as conjecture rules, regulations, prescribed values, established standards and stereotyped behaviors. At least it's not that the description of the human condition conceived by the French philosopher Jean-Paul Sartre, through his phenomenological ontology allows support. The ontological ethics is not limited to dogmatic and regulatory fields, Sartre operates a deconstruction of the metaphysical foundations: remove models, fixed behaviors, prototypes, archetypes, gods, concomitantly, transcends all attempts to assert the good and evil with based on an substrate absolute extreme, like the nature or essence. The moral ontology we describe here, using mainly the works of Sartre's period - so called metaphysical, has the freedom as its foundation and its greatest value, is therefore a theory of ambiguity, like the human condition. It must be understood freedom in this sense, not as a mere human attribute, but on the ontological way, as a fundamental structure of man. To found the values, actions and choices consistently with the human condition, the traditional moral laws based on rational or universal rules should be suspected. The ontological ethics that we want to bring up is like a large building whose foundation is the notion of freedom and built on it are the conceptions of man and world. The main work in which such building may be appreciated, and justify under which our research was published in 1943, entitled Being and Nothingness, it found a detailed and thorough analysis of the human condition, allowing a find out a kind of ethics consistent with the human reality in the situation. The notion of freedom in Sartre's phenomenological analysis, it is not, however, the only aspect of ethics, it comes with responsibility, authenticity, engagement and relationship with others.
Keywords: Ética
Liberdade
Autenticidade
Engajamento
Filosofia francesa
Ontologia
Existencialismo
Fenomenologia
Sartre, Jean-Paul, 1905-1980
Ethics
Freedom
Authenticity
Engagement
CNPq areas: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIA
Idioma: por
País: BR
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Parana
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Filosofia Moderna e Contemporânea
Program: Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Filosofia
Citation: HILGERT, Luiza Helena. Freedom authenticity, engagement: presuppositions of moral ontology in Sartre. 2011. 128 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia Moderna e Contemporânea) - Universidade Estadual do Oeste do Parana, Toledo, 2011.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.unioeste.br:8080/tede/handle/tede/2121
Issue Date: 4-Nov-2011
Appears in Collections:Mestrado em Filosofia (TOL)

Files in This Item:
File SizeFormat 
Luiza Helena Hilgert.pdf1.73 MBAdobe PDFView/Open Preview


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.