Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unioeste.br/handle/tede/2049
Tipo do documento: Dissertação
Title: O Faktum da razão como argumento crítico na teoria moral de Kant
Other Titles: The Faktum of reason how critical argument in Kant s moral theory
Autor: Bicalho, Vanessa Brun 
Primeiro orientador: Utteich, Luciano Carlos
Primeiro membro da banca: Cordeiro, Renato Valois
Segundo membro da banca: Penna-forte, Marcelo do Amaral
Resumo: Esta pesquisa tem como proposta principal analisar a validade do argumento do Faktum da razão como possível fundador da lei moral e da liberdade na filosofia prática kantiana. A fim de explicitar o domínio prático-moral no qual tematizamos o argumento do Faktum da razão, nosso texto demonstrará inicialmente a partir da leitura da Crítica da Razão Pura, os limites da razão teórica mediante os quais, pela distinção dos objetos em geral em fenômeno e númeno, Kant funda tanto o domínio especulativo da razão como também, em seguida, o da razão prática. A determinação dos limites da faculdade do entendimento é decisiva para instituir a tematização do conceito de liberdade como conceito não apenas especulativo (liberdade transcendental), mas também prático da razão (liberdade prática). Unicamente por isso são apresentadas as condições para serem pensados como não contraditórios Natureza e Liberdade. Por meio da compreensão do modo como a razão teórica (Verstand) conhece, e do modo adequado de compreender aquilo que a razão pura (Vernunft) admite em favor do pensamento de ideias que têm relação com o conhecimento (p.e., alma, Deus e liberdade), Kant desenvolveu o projeto da razão transcendental, do ponto de vista sistemático. A presença do argumento do Faktum da razão, de um único fato admitido como presente à razão (Vernunft), contrastou com a teoria moral kantiana, desenvolvida e explicitada até a Fundamentação da Metafísica dos Costumes. O argumento de um Faktum presente à razão, trazido pela Crítica da Razão Prática, provocou uma inquietação na recepção da teoria moral kantiana, dando fôlego a um debate em torno da posse, pela razão, do conceito de liberdade. Esse novo argumento fundamentador foi explicitado por Kant como uma consciência do imediatamente prático, consciência que por si mesma e em si mesma garante a irrefutabilidade da justificação da posse da liberdade, a nosso ver, como o único argumento crítico possível de ser fornecido pela faculdade da razão pura prática. Interpretações e recepções desfavoráveis à estratégia kantiana de fundamentação da liberdade no Faktum da razão são debatidas na presente dissertação. Muitas propostas atuais de neutralizar o aspecto coerente da estratégia kantiana trazida pela Crítica da Razão Prática se mostram apegadas aos movimentos anteriores de prova para demonstrar o conceito de liberdade. Em oposição a essas propostas, que encontram na argumentação kantiana um componente descontrutivo da perspectiva da razão crítico-transcendental ou da sua conformação sistemática, nosso texto estabelece um diálogo visando elucidar as possíveis incongruências argumentativas dessas interpretações, pela tematização da liberdade (transcendental) e da defesa do Faktum, como argumentos compatíveis com a própria perspectiva transcendental da razão, mantidos por isso em conformidade com o projeto da razão de fundar uma Metafísica dos Costumes.
Abstract: This research has as main purpose to analyze the validity from argument from Faktum of reason how possible founder of the moral law and freedom in Kant's practical philosophy. In order to explain the moral-practical domain in which conceptualized the argument from Faktum of reason, our text will demonstrate initially from the reading of the Critique of Pure Reason, the limits of theoretical reason by which, by the distinction of objects in general phenomenon and noumena, Kant founds both the speculative domain of reason as well, then the practical reason. The determination of the limits from the understanding´s faculty is crucial to establish the thematization of the freedom´s concept as a concept not only speculative (transcendental freedom), but also practical reason (practical freedom). Only so are presented the conditions to be thought of as not contradictory Nature and Freedom. Through the understanding of how theoretical reason (Verstand) knows, and the proper way to understand what pure reason (Vernunft) admits in favor from thinking of ideas that relate to the knowledge (ex., soul, God, and freedom), Kant developed the project of transcendental reason, the systematic point of view. The presence from the argument from Faktum of reason, a single fact admitted this as the reason (Vernunft) contrasted with the Kantian moral theory, developed and explained to the Groundwork from the Metaphysics of Morals. The argument of a Faktum at this reason, brought by the Critique of Practical Reason, caused a disturbance in the reception of Kant´s moral theory, giving breath to a debate on the possession, by reason, of the freedom´s concept. This new foundation argument was explained by Kant as an consciousness of immediately practical, awareness by itself and in itself guarantees the cogency of justification of possession from freedom, in our view, as the only critical argument can be provided by the faculty of pure practical reason. Unfavorable interpretations and receptions from Kant´s strategy of reasoning from freedom in Faktum of reason are discussed in this dissertation. Many current proposals to counteract the appearance of coherent Kant´s strategy brought by Critique of Practical Reason is shown attached to the previous movements of proof to demonstrate the freedom´s concept. In opposition to these proposals, which are a deconstruct component in the Kant´s argument of the perspective from critical-transcendental reason or systematic conformation, our text establishes a dialogue to elucidate the possible incongruities argumentative these interpretations, the themes of freedom (transcendental) and defense of Faktum as compatible arguments with the main transcendental perspective of reason, so kept in accordance with the project of reason from founding a Metaphysics of Morals.
Keywords: Razão prática
Faktum da razão
Liberdade
Natureza
Filosofia alemã
Kant, Immanuel, 1724-1804
Razão
Crítica
Moral
Practical reason
Faktum of reason
Freedom
Nature
CNPq areas: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::FILOSOFIA
Idioma: por
País: BR
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Parana
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Filosofia Moderna e Contemporânea
Program: Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Filosofia
Citation: BICALHO, Vanessa Brun. The Faktum of reason how critical argument in Kant s moral theory. 2013. 107 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia Moderna e Contemporânea) - Universidade Estadual do Oeste do Parana, Toledo, 2013.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.unioeste.br:8080/tede/handle/tede/2049
Issue Date: 8-Aug-2013
Appears in Collections:Mestrado em Filosofia (TOL)

Files in This Item:
File SizeFormat 
Vanessa Brun Bicalho.pdf803.85 kBAdobe PDFView/Open Preview


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.