Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unioeste.br/handle/tede/1938
Tipo do documento: Dissertação
Title: Fitase na digestibilidade de alimentos proteicos vegetais para o jundiá Rhamdia voulezi
Other Titles: Phytase on digestibility of plant protein feed for catfish Rhamdia voulezi
Autor: Fries, Edionei Maico 
Primeiro orientador: Signor, Altevir
Primeiro coorientador: Boscolo, Wilson Rogério
Primeiro membro da banca: Oliveira, José Dilson Silva de
Segundo membro da banca: Portz, Leandro
Resumo: Este estudo determinou o efeito da suplementação da fitase (1.500 UI de fitase kg-1 de dieta) sobre a digestibilidade aparente, disponibilidade de minerais, deposição mineral nos ossos, histologia do intestino e análise centesimal de filés para o jundiá (Rhamdia voulezi). Foram utilizados 360 jundiás com peso médio de 236,98±54,02 g e comprimento médio de 27,39±2,02 cm distribuídos em 24 tanques cônicos afunilados de 500L cada, para a coleta de excretas. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com oito tratamentos e três repetições. Foram avaliados três alimentos proteicos (farelos de soja, canola e girassol) e os tratamentos consistiram na formulação de duas dietas referências com cerca de 30% de proteína bruta e 4240 kcal de energia bruta kg-1 e duas dietas testes para cada alimento testado. Para tanto, após a mistura dos ingredientes, foram adicionados 1.500 UI de fitase kg-1 em uma repetição de cada dieta, obtendo-se quatro dietas sem a suplementação da enzima fitase e quatro dietas com a suplementação da enzima. As dietas experimentais foram compostas de 30% do ingrediente teste e de 70% da dieta referência e o óxido de crômio (Cr2O3) foi utilizado como indicador inerte na proporção de 0,2%. Os dados obtidos foram tabulados e submetidos à análise de variância e, posteriormente, foi realizado o teste de comparação múltipla de médias de Tukey (p<0,05). A análise fatorial para os coeficientes de digestibilidade aparente apresentaram efeito (p<0,05) para a interação entre os alimentos e a suplementação ou não da fitase, com o farelo de soja apresentando os maiores valores de digestibilidade aparente para a matéria seca, proteína e extrato etéreo. A disponibilidade dos nutrientes dos alimentos apresentaram efeito (p<0,05) para o alimento e a suplementação da enzima fitase, com os melhores resultados observados para os peixes alimentados com a dieta suplementada com a enzima fitase. A suplementação da enzima melhora a disponibilidade do cálcio e do magnésio, sendo os melhores valores de disponibilidade encontrados para o farelo de soja. A altura das vilosidades e a espessura da camada muscular intestinal, bem como a composição centesimal variaram (p<0,05) conforme os tratamentos com os alimentos. A maior altura das vilosidades intestinais foi observada na dieta referência com fitase e maior espessura da camada muscular para a dieta com o farelo de canola sem fitase. Não foram observadas diferenças (p>0,05) na utilização ou não de fitase sobre a retenção de fósforo. Por outro lado, todos os alimentos com ou sem a suplementação da enzima fitase apresentaram diferenças (p<0,05) sobre a deposição de magnésio nos ossos. Observou-se que os alimentos proteicos de origem vegetal avaliados respondem à ação da fitase de maneira distinta. Entre os alimentos avaliados, o farelo de soja foi o que apresentou os melhores coeficientes de digestibilidade e a suplementação da fitase melhorou a disponibilidade dos minerais cálcio e magnésio para os peixes analisados.
Abstract: This study had determined the effect of the supplementation of phytase (1,500 IU kg-1 diet phytase) on apparent digestibility, minerals availability, mineral deposition in the bones, intestinal histology and proximate analysis for catfish fillets (Rhamdia voulezi). Were utilized 360 catfishes with average weight of 236.98±54.02 g and average length of 27.39±2.02 cm distributed in 24 tapered conical tanks of 500L each for the excreta collection were used. The experimental design was completely randomized with eight treatments and three replications. Were measured three protein foods (soybean meal, canola and sunflower) and the treatments consisted in the formulation of two diets references with about 30% crude protein and 4,240 kcal of gross energy kg-1 and two test diets for each tested feed. For this, after the mixing of the ingredients were added 1,500 IU of phytase kg-1 in a repetition of each diet, obtaining four diets without phytase supplementation and four diets with enzyme supplementation. The experimental diets were composed of 30% of the test ingredient and 70% of the reference diet and chromium oxide (Cr2O3) was used as an inert tracer in a proportion of 0.2%. Data were tabulated and submitted to analysis of variance and later was performed the multiple comparison test of Tukey (p<0.05). Factor analysis for the coefficients of apparent digestibility showed effect (p<0.05) for the interaction between ingredients and supplementation or not of phytase, with soybean meal showing the highest apparent digestibility values for dry matter, protein and ether extract. The availability of nutrients from food had effect (p<0.05) for food and supplementation of phytase enzyme, with the best results observed for fish fed with the diet supplemented with the enzyme phytase. The enzyme supplementation improves the availability of calcium and magnesium being the best values for the availability founded on the soybean meal. The villus height and thickness of the intestinal muscle layer and the chemical composition had varied (p<0.05) in accordance with treatments and with ingredients. The major intestinal villus height was observed in the reference diet with enzyme and lager thickness of the muscular layer for diet without phytase canola meal. There were not observed differences (p>0.05) with or without phytase on phosphorus retention. Moreover, all ingredients with or without supplementation of phytase showed differences (p<0.05) on the magnesium deposition in bones. Was observed that the protein ingredients of vegetable origin evaluated have responded on the different way the effect of phytase. Among the evaluated ingredients, soybean meal had showed the best digestibility coefficients and the supplementation of phytase had improved the availability of the minerals calcium and magnesium for the fish analyzed.
Keywords: Aquicultura
Espécies nativas
Fitase
Nutrição
Aquaculture
Native species
Phytase
Nutrition
Jundiá (Peixe) - Nutrição
Proteínas na nutrição animal
CNPq areas: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::RECURSOS PESQUEIROS E ENGENHARIA DE PESCA
Idioma: por
País: BR
Publisher: Universidade Estadual do Oeste do Parana
Sigla da instituição: UNIOESTE
Departamento: Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca
Program: Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca
Citation: FRIES, Edionei Maico. Phytase on digestibility of plant protein feed for catfish Rhamdia voulezi. 2014. 79 f. Dissertação (Mestrado em Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca) - Universidade Estadual do Oeste do Parana, Toledo, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.unioeste.br:8080/tede/handle/tede/1938
Issue Date: 17-Dec-2014
Appears in Collections:Mestrado em Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca (TOL)

Files in This Item:
File SizeFormat 
Edionei Maico Fries.pdf1.37 MBAdobe PDFView/Open Preview


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.